Pressupostos pedagógicos das atuais propostas de formação superior em saúde no Brasil: origens históricas e fundamentos teóricos

  • Solange de Fátima Reis Conterno
  • Roseli Esquerdo Lopes

Resumo

Busca-se demonstrar que as metodologias inspiradas em pressupostos pedagógicos não diretivos, difundidas pelo Ministério da Saúde como inovadoras no campo da formação em saúde, se contextualizadas historicamente, perdem sua inventividade e originalidade. Tomando-se como fonte documentos oficiais que reorientam a formação profissional em saúde no Brasil, analisou-se as principais iniciativas de mudança e identificou-se seus pressupostos: aprendizagem significativa, professor facilitador, aprender a aprender; aprendizagem ativa e aprendizagem por problemas. Conclui-se que tais princípios pedagógicos podem ser considerados inovações no contexto educacional em que foram produzidos, no início do século passado. Na saúde, também não se trata de uma novidade, pois a Medicina Preventiva, desde 1950, tem defendido a readequação curricular e a incorporação de metodologias ativas na formação profissional.
Publicado
Nov 11, 2016
Como Citar
CONTERNO, Solange de Fátima Reis; LOPES, Roseli Esquerdo. Pressupostos pedagógicos das atuais propostas de formação superior em saúde no Brasil: origens históricas e fundamentos teóricos. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, [S.l.], v. 21, n. 3, nov. 2016. ISSN 1982-5765. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/index.php/avaliacao/article/view/2780>. Acesso em: 29 abr. 2017.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Educação superior em saúde. Metodologias ativas. Pedagogias não diretivas.