Ler as letras e ser fecundas: mulheres na escola e no mundo da casa

  • Jane Soares de Almeida

Resumo

Na História das Mulheres é possível apreender o significado social do relacionamento entre os sexos utilizando-se dos estudos de gênero, como paradigma da crítica teórica feminista. Este paradigma fornece importantes elementos de análise para se inserir as mulheres como sujeitos históricos, eliminando-se a invisibilidade de décadas passadas, quando estas não apareciam como atores sociais. Para escrever essa História, fontes nem sempre consideradas na historiografia oficial podem ser utilizadas nas análises assim como as articulações entre o espaço público e o privado. Foi necessário muito tempo para o reconhecimento de que a vida das mulheres não se esgota na domesticidade. O século XX, como período de protestos femininos em busca de maiores direitos, em especial o voto e a educação formal, promoveu o que já vinha se edificando no século XIX: o reconhecimento de que a outra metade da humanidade possuía aspirações que não se limitavam à maternidade e ao desempenho doméstico, numa prática de submissão aos homens por demais estruturada em séculos anteriores.
Publicado
Nov 25, 2016
Como Citar
ALMEIDA, Jane Soares de. Ler as letras e ser fecundas: mulheres na escola e no mundo da casa. Quaestio: revista de estudos em educação, [S.l.], v. 18, n. 3, p. p. 711-724, nov. 2016. ISSN 2177-5796. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/index.php/quaestio/article/view/2848>. Acesso em: 27 abr. 2017.
Seção
Dossiê - História da Educação: instituições e processos de escolarização

Palavras-chave

Mulheres. Educação. Gênero. História.