O projeto da educação para todos e seus impactos nas políticas educacionais brasileira e paulista

  • Silmara A. Lopes
  • Jane Soares de Almeida

Resumo

Este texto apresenta uma breve análise do desenvolvimento do projeto da educação para todos, tendo em vista os impactos da Declaração Mundial sobre Educação para Todos (1990) e da Declaração de Salamanca (1994) na educação básica brasileira e paulista. A inclusão na escola regular está legislada, mas as condições para sua materialização não estão satisfeitas, sendo o acesso à educação apenas uma meia vitória que se não for acompanhado de qualidade educativa serve mais aos interesses das classes dominantes, destinando-se às classes dominadas uma educação precária, pois educação escolar não é sinônimo de escolarização. A inclusão escolar sem qualidade de ensino pode se tornar simplesmente escolarização (conclusão de um curso sem garantia de qualidade), significando para muitos apenas a passagem pela escola.O aumento significativo de vagas para alunos com deficiência, transtornos, distúrbios, dificuldades escolares de toda ordem, nas salas regulares é um tipo de avanço que, no entanto, não foi acompanhado de políticas educacionais direcionadas para a qualidade da educação para essas crianças e jovens inseridos nas escolas regulares. Pode-se afirmar que a universalização do acesso vem acontecendo, mas falta a democratização do saber para todos.

Publicado
Nov 25, 2016
Como Citar
LOPES, Silmara A.; ALMEIDA, Jane Soares de. O projeto da educação para todos e seus impactos nas políticas educacionais brasileira e paulista. Quaestio: revista de estudos em educação, [S.l.], v. 18, n. 3, p. p. 895-916, nov. 2016. ISSN 2177-5796. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/index.php/quaestio/article/view/2859>. Acesso em: 27 abr. 2017.
Seção
Artigos de Demanda

Palavras-chave

Políticas. Educação para todos. Inclusão.