Ficção como antropologia especulativa: embates comunicativos na literatura de Juan José Saer

  • Nuno Manna Universidade Federal de Minas Gerais
  • Phellipy Jácome Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este ensaio busca explorar os embates comunicativos que emergem na leitura do romance “O Enteado”, de Juan José Saer, tomando a ficção literária como possibilidade de reflexão sobre a cultura e da experiência de conflitos entre identidade e alteridade. Propondo uma compreensão da ficção como uma forma de antropologia especulativa, exploramos, pela obra do escritor, questões relativas à comparação entre diferentes perspectivas: o que acontece se essas comparações se dessem no interior do espaço-tempo ficcional desdobrado por uma obra particular? Quais imbricamentos e problemáticas são trazidas pela ficção como exercício de distanciamento e de reflexão sobre as nossas formas de vida? Como ficções particulares avançam e questionam os limites dos nossos mundos possíveis? O livro de Saer nos é particularmente instigante na busca destes interrogantes, na medida em que parte de um relato presumidamente histórico para recontá-lo através de um narrador-personagem que parece não encontrar seu lugar em nenhum dos dois mundos por ele frequentado –o dos europeus e o dos Colastiné- o que gera reflexões inquietantes sobre ambos.

Publicado
Dez 9, 2016
Como Citar
MANNA, Nuno; JÁCOME, Phellipy. Ficção como antropologia especulativa: embates comunicativos na literatura de Juan José Saer. Tríade: Revista de Comunicação, Cultura e Midia - ISSN 2318-5694, [S.l.], v. 4, n. 8, p. 117-134, dez. 2016. ISSN 2318-5694. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/index.php/triade/article/view/2723>. Acesso em: 29 abr. 2017.

Palavras-chave

Comunicação; Literatura; Ficção; Antropologia; Juan José Saer