Apuração in loco: o impacto do trabalho de campo no fazer jornalístico

  • Mara Rovida Programa de Pós-graduação em Comunciação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso)

Resumo

Numa sociedade orientada pela tecnologia, o investimento no trabalho de campo como elemento essencial da apuração jornalística parece cada vez mais raro. Na contramão dessa realidade, observa-se o trabalho in loco como diferencial na elaboração de narrativas sobre temas do cotidiano urbano. A relação entre dialogia jornalística e observação-experiência no exemplo da cobertura radiofônica do trânsito é discutida neste artigo. A costura de vozes e perspectivas de personagens do trânsito urbano é observada em seu aspecto dialógico nas narrativas da Radio Trânsito (antiga SulAmérica Trânsito). A metodologia de trabalho que dá base para o presente debate está alicerçada na pesquisa empírica cujos sujeitos observados são os jornalistas que atuam na emissora de rádio escolhida para esta análise.
Publicado
Dez 9, 2016
Como Citar
ROVIDA, Mara. Apuração in loco: o impacto do trabalho de campo no fazer jornalístico. Tríade: Revista de Comunicação, Cultura e Midia - ISSN 2318-5694, [S.l.], v. 4, n. 8, p. 287-301, dez. 2016. ISSN 2318-5694. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/index.php/triade/article/view/2745>. Acesso em: 29 abr. 2017.
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas

Palavras-chave

apuração jornalística; dialogia; narrativa jornalística; trabalho de campo; radiojornalismo.