ENTRE A OMNIAVALIAÇÃO E CONFISCAÇÃO: CONTRIBUTOS PARA UMA AVALIAÇÃO DIALÓGICA E SUSTENTÁVEL

  • Eusébio André Machado

Resumo

A hipótese central deste artigo é a de que vivemos atualmente um regime de omniavaliação. Para justificar esta hipótese, é apresentado um argumentário que considera, num primeiro momento, as principais lógicas que caracterizam a omniavaliação e, num segundo momento, a falência paradigmática e confiscação da avaliação. Tendo em conta os “efeitos” decorrentes da situação atual de “crise”, conclui-se o artigo com um conjunto de propostas contribuintes para uma avaliação “dialógica” e “sustentável”, através da qual, no meio das tensões e paradoxos cada vez mais dilacerantes, seja possível encontrar outros caminhos e outros sentidos para a avaliação.
Como Citar
MACHADO, Eusébio André. ENTRE A OMNIAVALIAÇÃO E CONFISCAÇÃO: CONTRIBUTOS PARA UMA AVALIAÇÃO DIALÓGICA E SUSTENTÁVEL. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, [S.l.], v. 19, n. 2, jun. 2014. ISSN 1982-5765. Disponível em: <http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/1937>. Acesso em: 18 nov. 2017.
Seção
Dossiê

Palavras-chave

Avaliação. Omniavaliação. Educação. Dialogia. Sustentabilidade.