Educação Superior no Brasil

panorama da contemporaneidade

Palavras-chave: Ensino superior, Modelo educacional, Expansão neoliberal

Resumo

O objetivo do presente artigo é apresentar uma síntese da realidade do ensino superior brasileiro na atualidade a partir de seus aspectos legais, históricos e contextuais com o fito de instrumentalizar pesquisas cujo foco seja este nível educacional. A pesquisa bibliográfica realizou-se a partir de consulta à legislação atinente ao setor, bem como, aos autores que debatem a temática de forma a condensar dados que possibilitaram delinear o quadro da contemporaneidade. Restou observada a formulação de uma estrutura notadamente privatizada, historicamente consolidada, e fortalecida pelas novas demandas e estratégias governamentais para oportunizar tal etapa do ensino, convergentes com um modelo econômico neoliberal.

Referências

AGUIAR, Vilma. Um balanço das políticas do governo Lula para a educação superior: continuidade e ruptura. Revista Sociologia e Política, Curitiba, v. 24, n. 57, p. 113-126, mar. 2016. Acesso em: 15 nov. 2017.

ALONSO, Kátia M. A expansão do ensino superior no Brasil e a EaD: dinâmicas e lugares Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1319-1335, out./dez. 2010. Acesso em: 07 set. 2015.

BENDER, William N. Aprendizagem baseada em projetos: educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014.

BORGES, Maria Creusa de A. A visão de educação superior do Banco Mundial: recomendações para a formulação de políticas educativas na América Latina. RBPAE, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 367-375, maio/ago. 2010. Acesso em: 06 jun. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Planalto, 1988.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CEB 02/97. Brasília, 1997a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/RCNE_CEB02_97.pdf. Acesso em: 26 jul. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CEB 17/97. Brasília, 1997b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/rede/legisla_rede_parecer1797.pdf. Acesso em: 26 jul. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CEB 16/99. Brasília, 1999. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/rede/legisla_rede_parecer1699.pdf. Acesso em: 26 jul. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CES Nº 436/2001. Brasília, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/rede/legisla_rede_parecer4362001.pdf. Acesso em: 26 jul. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Portaria 40/2007: Institui o e-MEC, sistema eletrônico de fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação, avaliação e supervisão da educação superior no sistema federal de educação, e o Cadastro eMEC de Instituições e Cursos Superiores e consolida disposições sobre indicadores de qualidade, banco de avaliadores (Basis) e o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) e outras disposições. Brasília: INEP/MEC, 2007. Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/condicoes_ensino/2007/Portaria_n40.pdf. Acesso em: 04. jul. 2017

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Catálogo nacional de cursos superiores na área de tecnologia. 3. ed. Brasília: MEC, 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Presidência da República. Lei 9.394/96: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Congresso Nacional, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 12 ago. 2015.

BRASIL. Lei 10.861/2004: Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – Sinaes e dá outras providências. Brasília: Congresso Nacional, 2004. Acesso em: 29. Set. 2014.

BRUNNER, José J. La idea de universidad: tendencias y transformación. In: SCHWARTZMAN, Simon. A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: Unicamp, 2014. p. 89-105.

CÁRIA, Neide Pena; OLIVEIRA, Sandra Maria. Avaliação em larga escala e a gestão da qualidade da educação. Revista de Ciências Humanas – Educação, Frederico Westphalen, v. 16, n. 26, p. 22-40, jul. 2015. Acesso em: 22 ago. 2016.

CUNHA, Luiz A. A universidade temporã. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1986.

CUNHA, Maria Isabel da et al. As políticas públicas de avaliação e docência: impactos e repercussões. p. 5-48. In: CUNHA, Maria Isabel da (org.). Formatos avaliativos e concepções de docência. Campinas: Autores Associados, 2005.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christina. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 6. ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2001.

DIAS SOBRINHO, J. Políticas y conceptos de calidad: dilemas y retos. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 17, n. 3, p. 601-618, nov. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/aval/v17n3/a03v17n3.pdf. Acesso em: 23 out. 2014.

DURHAM, Eunice R. O ensino superior no Brasil: público e privado. São Paulo: NUPES/USP, 2003.

ESTEBAN, Maria Teresa. Silenciar a polissemia e invisibilizar os sujeitos: indagações ao discurso sobre a qualidade da educação. p. 5-31. Revista Portuguesa de Educação, Universidade do Minho, minho, v. 21, n. 1, 2008.

FERNÁNDEZ, Eduardo. El sistema-mundo del capitalismo académico: procesos de consolidación de la universidad emprendedora. Archivos Analíticos de Políticas Educativas, Arizona State University, v. 17, n. 21, 2009.

GRUSCHKA, Andreas. Frieza burguesa: a frieza como mal-estar moral da cultura burguesa na educação. Campinas: Autores Associados, 2014.

HALLAK, Jacques; POISSON, Muriel. Fraude académico, acreditación y garantía de la calidad: lecciones aprendidas del pasado y retos para el futuro. In: INFORME LA EDUCACIÓN SUPERIOR EN EL MUNDO. Acreditación para garantía de la calidad: ¿Qué está en juego? Madrid: UNESCO, 2007. p. 109-123. Disponível em: http://upcommons.upc.edu/handle/2099/7516. Acesso em: 13 jan. 2017.

INEP. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Notas estatísticas: censo da educação superior 2016. Brasília: Inep, 2017.

IPM. INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. Analfabetismo funcional, opressão de classe e exploração, 15 jul. 2015. Disponível em: http://www.ipm.org.br/pt-br/noticias/saiunaimprensa/Paginas/Analfabetismo-funcional,-opress%C3%A3o-de-classe-e-explora%C3%A7%C3%A3o.aspx. Acesso em: 18. dez. 2016.

MARQUES, Waldemar. Brasil, terra de contrastes. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 19, n. 3, p. 749-771, nov. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772014000300011&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 26 jul. 2017.

MOROSINI, Marília C. et al. A qualidade da educação superior e o complexo exercício de propor indicadores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 21 n. 64, jan./mar. 2016. Acesso em: 12 ago 2017.

MUNICIO, Pedro. Los sistemas de evaluación en la educación superior. Lima: UNE, 2003.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

REAL, Giselle. Avaliação e qualidade no ensino superior: os impactos do período 1995-2002. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 573-584, set./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v35n3/11.pdf. Acesso em: 20/ jul. 2017.

RHOADES, Gary; SLAUGHTER, Sheila. Capitalismo académico en la nueva economía: retos y decisiones. Pasajes: Revista de pensamiento contemporáneo, Valencia, n. 33, p. 43-59, 2010. Disponível em: http://roderic.uv.es/handle/10550/45724. Acesso em 23 ago. 2017.

RISTOFF, Dilvo I. Universidade em foco: reflexões sobre a educação superior. Florianópolis: Insular, 1999.

SAMPAIO, Helena Maria S. Ensino superior no Brasil: o setor privado. São Paulo: HUCITEC/FAPESP, 2000.

SAMPAIO, Helena Maria S. Educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. In: SCHWARTZMAN, Simon. A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: Unicamp, 2014. p. 140-192.

SCHWARTZMAN, Simon. A educação superior e os desafios do século XXI: uma introdução. In: SCHWARTZMAN, Simon. A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: Unicamp, 2014. p. 15-45.

SEGRERA, Francisco L. La segunda conferencia mundial de educación superior (UNESCO, 2009) y la visión del concepto de acreditación en las conferencias de UNESCO (1998-2009). Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 17, n. 3, p. 619-636, nov. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/aval/v17n3/a04v17n3.pdf. Acesso em: 11 dez. 2016.

SGUISSARDI, Valdemar. Educação superior no Brasil: democratização ou massificação mercantil? Revista Educ. Soc., Campinas, v. 36, n. 133, p. 867-889, out./dez. 2015. Disponível em: www.scielo.br/pdf/es/v36n133/1678-4626-es-36-133-00867.pdf. Acesso em 13 ago. 2017

SEMESP. SINDICATO DAS MANTENEDORAS DO ENSINO SUPERIOR PRIVADO. Mapa do Ensino Superior no Brasil. 2016. Disponível em: http://convergenciacom.net/pdf/mapa_ensino_superior_2016.pdf. Acesso em: 29 jul. 2017.

SOUZA, Donaldo B. de. Avaliações finais sobre o PNE 2001-2010 e preliminares do PNE 2014-2024. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 59, p. 40-170, set./dez. 2014. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1942/1942.pdf. Acesso em: 06 jun. 2018.

TAKAHASHI, Fábio. Folha de S. Paulo, São Paulo, 5 set. 2015. Especial Gestão Escolar.

VEEN, Wim; VRAKKING, Ben. Homo zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.

ZOCCOLI, Marilise M. de S. Educação superior brasileira: política e legislação. Curitiba: IBPEX, 2009.
Publicado
2019-12-04
Como Citar
Diniz, R. V., & Goergen, P. L. (2019). Educação Superior no Brasil: panorama da contemporaneidade. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 24(3). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/3787
Seção
Artigos