Percurso de estudantes cotistas

ingresso, permanência e oportunidades no ensino superior

Autores

  • Mariza Aparecida Costa Pena
  • Daniel Abud Seabra Matos
  • Rosa Maria da Exaltação Coutrim

Palavras-chave:

Estudantes cotistas, Políticas de ação afirmativa, Ensino Superior

Resumo

Os objetivos foram: investigar o percurso universitário de alunos cotistas após o ingresso nos cursos de graduação presenciais da UFOP; comparar o perfil acadêmico dos estudantes cotistas e da ampla concorrência e investigar oportunidades aproveitadas no percurso universitário pelos alunos. Utilizamos métodos quantitativos: estatística descritiva e testes de comparação de médias. As variáveis utilizadas foram: nível socioeconômico, nota do ENEM, coeficiente geral da UFOP, reprovação, evasão e oportunidades acadêmicas. Participaram 247 alunos (71 cotistas e 176 da ampla concorrência), ingressantes no primeiro semestre de 2013, pertencentes a seis cursos: Medicina, Nutrição, Engenharia Civil, Engenharia de Computação, Direito e Serviço Social. Dentre os principais resultados, destacamos: a maioria dos estudantes cotistas, embora tenha uma nota menor na pontuação do ENEM ao ingressar, tem desempenho acadêmico similar ao dos estudantes da ampla concorrência. Diversos resultados encontrados, de maneira geral, estão nesse mesmo sentido. Por exemplo: na amostra como um todo, ao compararmos a reprovação e a proporção de evasão de estudantes cotistas e de ampla concorrência, não encontramos diferença estatisticamente significativa. A política de cotas tem colaborado para o acesso de uma parcela significativa de estudantes de camadas populares no Ensino Superior, sobretudo nos cursos de maior prestígio.

Referências

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco; XAVIER, Flavia Pereira. Índice socioeconômico das escolas de educação básica brasileiras. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 84, p. 671-704, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v22n84/a05v22n84.pdf. Acesso em: 9 jul. 2018.

BRASIL. Lei nº. 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, 2012.

COULLON, Alain. A condição de estudante: a entrada na vida universitária. Salvador: EDUFBA, 2008.

DOMINGUES, Petrônio. Ações Afirmativas para negros no Brasil: o início de uma reparação histórica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 29, p. 164-176, maio/jun./jul./ago. 2005.

GARCIA, Francisco da Costa; JESUS, Girlene Ribeiro de. Uma avaliação do sistema de cotas raciais da Universidade de Brasília. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 26, n. 61, p. 146-165, jan./abr. 2015. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/2773. Acesso em: 9 jul. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da educação superior 2013: resumo técnico. Brasília: INEP, 2015.

MUNANGA, Kabengele. Política de Ação Afirmativa no Brasil: consenso e desacordo na política de cotas na universidade pública. In: REPETTO, Maxim; NEVES, Leandro Roberto; FERNANDES, Maria Luiza (org.). Universidade inconclusa: os desafios da desigualdade. Boa Vista: Ed. da UFRR, 2008. p. 35-88.

PAIVA, Angela Randolpho; ALMEIDA, Lady Christina. Mudança no campus: falam os gestores das universidades com ações afirmativas. In: PAIVA, Angela Randolpho (org.). Entre dados e fatos: ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Pallas, 2010. p. 75-116.

PORTES, Écio Antônio; SILVA, Cibelle Cristina Lopes. Os efeitos do capital cultural na distribuição dos privilégios universitários: o caso dos bolsistas de iniciação científica da UFSJ. Tempos e Espaços, Aracaju, v. 6, p. 57-62, 2011.

PRATES, Antonio Augusto Pereira. Desigualdade e expansão do ensino superior na sociedade contemporânea: o caso brasileiro do final do século XX ao princípio do século XXI. Belo Horizonte: Fino Traço, 2014.

RODRIGUES, Erica Castilho; MATOS, Daniel Abud Seabra; FERREIRA, Aline dos Santos. Nível socioeconômico e ensino superior: cálculo e aplicações. Avaliação, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 494-511, jul. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772017000200494&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 9 jul. 2018.

SANTOS, Adilson Pereira dos. Política de ação afirmativa, novo ingrediente na luta pela democratização do Ensino Superior: a experiência da Universidade Federal de Ouro Preto. 2011. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

SILVA FILHO, Penildon. Políticas de ação afirmativa na educação brasileira: estudo de caso do programa de reserva de vagas para ingresso na Universidade Federal da Bahia. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

SOUSA, Letícia Pereira de. Reserva de vagas na Universidade Federal de São João del-Rei: o perfil dos beneficiados pela Ação Afirmativa 2 em 2010. 2013. 240 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Processos Educativos e Práticas Escolares, Universidade Federal de São João Del-Rei, São João Del-Rei, 2013.

SOUZA, Iael de. Estudo, estudar, ser estudante no Ensino Superior: condições gerais imanentes e contexto socioeconômico cultural das classes populares. Revista Labor, Fortaleza, v. 1, n. 16, p. 112-136, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6515. Acesso em: 9 jul. 2018.

Publicado

2020-06-19

Como Citar

Pena, M. A. C. ., Matos, D. A. S. ., & Coutrim, R. M. da E. . (2020). Percurso de estudantes cotistas: ingresso, permanência e oportunidades no ensino superior. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 25(1). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/3916

Edição

Seção

Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##