Avaliação da educação superior no Brasil, aspectos históricos e legais

Autores

  • Juliana da Silva Dias
  • Cassius Gomes de Oliveira

Palavras-chave:

Educação superior., Avaliação., Qualidade.

Resumo

O artigo objetiva assinalar indícios históricos e legais no que tange a avaliação da Educação Superior no Brasil, evidenciando fatos que favoreceram a construção do processo de avaliação atualmente observado. Entende-se que estudar a história é fator preponderante, para se apreender o modelo avaliativo vigente e propor mudanças nestes mecanismos tão presentes no cotidiano das IES. A escolha por uma opção metodológica qualitativa, justifica-se pelo interesse na realização de análises profundas que ultrapassem o limite da superficialidade possibilitando uma compreensão mais completa dos fatos e variáveis que tangenciam o objeto investigado. O estudo revela que fragilidades se mantém ao logo do tempo, pois já no final da Primeira República, evidenciavam-se problemas, como a falta de estrutura universitária; revelando então a necessidade de se estabelecer políticas públicas capazes de melhor estruturar a Educação Superior no Brasil.

Referências

APPOLINÁRIO, F. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2009.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases n. 9394/96. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 11 mar. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 18 de setembro de 1946. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm. Acesso em: 10 mar. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 5540, de 28 de novembro de 1968. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5540.htm. Acesso em: 03 jun. 2018.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

CUNHA, Luiz Antônio. A universidade temporã – da Colônia à Era Vargas. 2. ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1986.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque; BRITTO, Jader de Medeiros (orgs). Durmeval Trigueiro Mendes: ensaios sobre educação e universidade. Brasília: INEP, 2006.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GOMES, Alfredo Macedo. Expansão e privatização da educação superior: do período civil-militar ao neoliberalismo-popular. In: SOUZA, José Vieira de; CUNHA, Célio da; SILVA, Maria Abádia da (org.). Expansão e avaliação da educação superior: cenários e vozes. Belo Horizonte: Fino Traço, 2016. p. 21-50.

MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processo. Porto Alegre: Artmed, 2004.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes, 2007.

ROTHEN, J. C. Ponto e contraponto na avaliação institucional: análise dos documentos de implantação do Sinaes. Revista Educação: Teoria e Prática, Belo Horizonte, v. 15. n. 27, p. 119-137, 2006.

SÁNCHEZ, Silvio Gamboa. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. 2. ed. Chapecó: Argos, 2012.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice. O social e político na pós-modernidade. 9. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

TEIXEIRA, Anísio. O ensino superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1969.

Publicado

2020-09-08

Como Citar

Dias, J. da S. ., & Oliveira, C. G. de . (2020). Avaliação da educação superior no Brasil, aspectos históricos e legais. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 25(2). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/4018

Edição

Seção

Artigos