Dimensões atitudinais do alfabetismo

  • Vera Maria Masagão Ribeiro

Resumo

Este artigo traz os resultados de uma pesquisa realizada junto a jovens e adultos de forma a estabelecer competências e comportamento de jovens e adultos de nenhuma ou pouco escolaridade. A pesquisa foi realizada em São Paulo como parte do projeto latino-americano promovido pela OREALC - Oficina Regional de Educación para América Latina y el Caribe, sob a coordenação de Maria Isabel Infante. Partiu da definição de analfabetismo funcional proposta pela Unesco: "uma pessoa funcionalmente analfabeta é aquela que não pode participar de todas as atividades nas quais a alfabetização é requerida para uma atuação eficaz em seu grupo e comunidade, e que lhe permitem, também, continuar usando a leitura, a escrita e ao cálculo a serviço de seu próprio desenvolvimento e do desenvolvimento da sua comunidade" (INFANTE, 1994 a, p. 7). Dessa definição, formulou-se a hipótese sobre a relação entre a capacidade de ler e escrever e a assunção de certas orientações atitudinais que compreendem aspectos comportamentais e valorativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Maria Masagão Ribeiro
Doutora em Educação pela Puc-SP. Assessora de ação educativa - assessoria, pesquisa e informação.
Como Citar
RIBEIRO, V. Dimensões atitudinais do alfabetismo. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 2, n. 2, p. p. 21-36, 11.
Seção
Estudos