Matriz geradora de itens de avaliação: concepção e aplicações

  • Luiz Percival Leme Britto
  • Maria José Nóbrega

Resumo

Pretendeu-se nesse trabalho apresentar uma análise das condições teórico-práticas de a elaboração de matrizes de referência que permitam a geração ou elaboração de itens de avaliação de conhecimentos e habilidades de Língua Portuguesa - leitura e escrita - que, ao mesmo tempo, se traduzam em provas objetivas e resultados coerentes e comparáveis. Para tanto, tratou-se inicialmente distinguir currículo de matrizes, anotando-se a especificidade e exigência de cada caso. Em seguida, realizou-se a análise de itens de prova, procurando-se demonstrar suas condições de aplicação e validação, assim como as possíveis relações com as matrizes a partir das quais foram produzidos. A conclusão a que chegam os autores é que é necessário ter claros os limites do instrumento, as dificuldades de aferição de operações específicas e aplicação e generalização. Testes produzidos a partir de matrizes equilibradas podem ser úteis se se estabelecerem referenciais precisos que indiquem procedimentos mais amplos e capacidades mais gerais, como a de síntese, de associação, comparação, etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Percival Leme Britto
Doutor em Linguística pelo IEL/Unicamp. Professor do Programa de Mestrado em Educação da Uniso.
Maria José Nóbrega
Mestre em Letras pela USP. Assessora de Educação em Língua Portuguesa do Ensino Fundamental.
Como Citar
BRITTO, L.; NÓBREGA, M. Matriz geradora de itens de avaliação: concepção e aplicações. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 2, n. 2, p. p. 59-89, 11.
Seção
Estudos