Matriz geradora de itens de avaliação: concepção e aplicações

Autores

  • Luiz Percival Leme Britto
  • Maria José Nóbrega

Resumo

Pretendeu-se nesse trabalho apresentar uma análise das condições teórico-práticas de a elaboração de matrizes de referência que permitam a geração ou elaboração de itens de avaliação de conhecimentos e habilidades de Língua Portuguesa - leitura e escrita - que, ao mesmo tempo, se traduzam em provas objetivas e resultados coerentes e comparáveis. Para tanto, tratou-se inicialmente distinguir currículo de matrizes, anotando-se a especificidade e exigência de cada caso. Em seguida, realizou-se a análise de itens de prova, procurando-se demonstrar suas condições de aplicação e validação, assim como as possíveis relações com as matrizes a partir das quais foram produzidos. A conclusão a que chegam os autores é que é necessário ter claros os limites do instrumento, as dificuldades de aferição de operações específicas e aplicação e generalização. Testes produzidos a partir de matrizes equilibradas podem ser úteis se se estabelecerem referenciais precisos que indiquem procedimentos mais amplos e capacidades mais gerais, como a de síntese, de associação, comparação, etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Percival Leme Britto

Doutor em Linguística pelo IEL/Unicamp. Professor do Programa de Mestrado em Educação da Uniso.

Maria José Nóbrega

Mestre em Letras pela USP. Assessora de Educação em Língua Portuguesa do Ensino Fundamental.

Como Citar

BRITTO, L. P. L.; NÓBREGA, M. J. Matriz geradora de itens de avaliação: concepção e aplicações. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 2, n. 2, 11.

Edição

Seção

Estudos