Imagens e sonoridades: é possível fissurar cotidianos escolares?

Autores

  • Alda Regina Tognini Romaguera
  • Marta Catunda

Resumo

Este texto apresenta um vídeo de cinco minutos sobre imagens de escola, feito por docentes do grupo de pesquisa GEPECE, inserido no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba. Tal produção se entretece com imagens e sons que emergem durante as manifestações da Ocupação escolar nas escolas paulistas, em outubro de 2015. A partir desses dois movimentos, buscamos fazer a tessitura entre eles, propondo fissuras para pensar cotidianeidades educação. Com a música de Dani Black “O trono do estudar” (2015), com o documentário de Pronzato “Acabou a paz, isso aqui vai virar o Chile” (2016) e com os estudantes secundaristas em exercício político, desejamos pensarfazer gestos de inventar novos e diferentes modos de resistir educação. Desejamos, com este gesto, inverter uma lógica instituída, produzir uma outra abordagem da própria comunicação audiovisual com as imagens provocadas por acontecimentos inesperados que apresentam flagrantes, flashes deste cotidiano vivo, inflamado, agitado por uma ação política de defesa legítima do direito de estudar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-07-13

Como Citar

ROMAGUERA, A. R. T.; CATUNDA, M. Imagens e sonoridades: é possível fissurar cotidianos escolares?. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 18, n. 1, 13 jul. 2016.

Edição

Seção

Dossiê - Educação: Imagens, cinema e cotidianos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>