Quaestio - Revista de Estudos em Educação http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio <p style="text-align: justify;">A <strong>Quaestio: revista de estudos em educação</strong> &nbsp;é uma publicação&nbsp;quadrimestral do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba, avaliada como Qualis B1, tem como objetivo a divulgação de trabalhos inéditos de docentes, pesquisadores e de pós-graduandos de instituições nacionais e internacionais na área de Educação Escolar que tratem, preferencialmente, de questões relacionadas à <strong>Educação Superior</strong>; <strong>Pesquisa em Educação</strong>; <strong>Cotidiano Escolar</strong>; <strong>Políticas Educacionais</strong>; <strong>Formação Docente</strong> e <strong>Fundamentos Educacionais</strong>.<strong>&nbsp;</strong>São aceitos textos em português, inglês e espanhol.</p> <p style="text-align: justify;"><strong>e-ISSN:</strong> 2177-5796 | <strong>ISSN Impresso:</strong> 1518-2886</p> Universidade de Sorocaba - UNISO pt-BR Quaestio - Revista de Estudos em Educação 1518-2886 <p style="text-align: justify;">Os artigos publicados são de total e exclusiva responsabilidade dos autores que, antecipadamente, cedem seus direitos autorais à Quaestio: Revista de Estudos em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba. A remessa de originais implica a autorização para publicação e disponibilização &nbsp;<em>on-line</em> sem o pagamento de direitos autorais. Caso o artigo reproduza documentos, imagens e/ou material legalmente protegido, caberá ao autor obter dos autores ou de seus herdeiros a liberação dos direitos de reprodução.&nbsp;</p> <p style="text-align: justify;">Os autores&nbsp;concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista, preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.</p> QUAESTIO – Comemorações dos 20 anos de existência da revista http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3594 Alda Regina Tognini Romaguera ##submission.copyrightStatement## 2019-05-06 2019-05-06 21 1 7 12 Apresentação - Dossiê temático http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3595 Rodrigo Barchi ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 13 18 Como criar uma paisagem em ruínas? Deslocamentos, desconstruções e a insistência de pensar a Educação Ambiental no Antropoceno http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3524 <p>Este ensaio é sobre o processo de criar ruínas – por meio do radical estranhamento com relação a discursos que nos são caros, familiares e confortáveis – e passar a [gostar de] habitá-las. As ruínas criadas são o resultado de deslocamentos e desconstruções que efetuados por estudos afinados com perspectivas teóricas pós-estruturalistas. A proposta consiste em favorecer a invenção de outras paisagens em Educação Ambiental, nas quais não nos sintamos tão seguros, mas que talvez por isso mesmo sejam instigantes e desafiadoras por permitirem uma sensação de desorientação e desfamiliarização. A Educação Ambiental é constituída e marcada por verdades e certezas, tanto provindas do campo da educação quanto do que poderíamos chamar de “metanarrativas ambientais” – as verdades ambientais que nos interpelam. A fim de imprimir rasuras e instalar fissuras nessas metanarrativas, foram focalizadas provocações, ideias explosivas, vindas de dois “lugares” diferentes: a desconstrução dos conceitos de meio ambiente e natureza feita por Bruno Latour e colaboradores; e as mordazes críticas aos discursos ambientalistas feitas em um vídeo pelo filósofo Slavoj Žižek. A partir dessa insólita combinação, acredita-se ter provocado alguns desmoronamentos, algumas rachaduras, produzindo, quiçá, espaços vazios que venham a ser ocupados de formas inventivas pelos educadores ambientais.</p> Shaula Maíra Vicentini de Sampaio ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 19 38 10.22483/2177-5796.2019v21n1p19-38 Educação ambiental crítica: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3508 <p>O artigo se propõe refletir sobre a institucionalização das políticas “progressistas” e, mais especificamente, da educação ambiental junto ao Estado brasileiro e as contradições resultantes desse processo. Compreende-se que a crise vivida pela educação ambiental crítica (isolada no espaço acadêmico), está relacionada a uma postura colonialista que aposta na disseminação de perspectivas produzidas “desde cima”, ou seja, desde os espaços dos poderes instituídos. A participação da educação ambiental nos governos progressistas, terminou por restringir sua ação contra-hegemônica, deixando-a sem espaço para as perspectivas e resistências autônomas e autogestionárias que emergem da sociedade. Por fim, nos propomos tecer uma breve e introdutória reflexão sobre outros caminhos para inserção da educação ambiental na sociedade, caminhos mais abertos à diversidade de lutas e perspectivas socioambientais que existem na vida cotidiana. Uma educação múltipla e marginal que, nascida “desde baixo”, desafia os limites impostos pela modernidade capitalista, sem a necessidade de criar uma nova verdade a ser reproduzida.</p> Carlos Roberto da Silva Machado Bruno Emilio Moraes ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 39 58 10.22483/2177-5796.2019v21n1p39-58 Pedagogia da resistência: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3509 <p>Para a existência de uma educação ambiental com foco na formação da cidadania plena dos educandos nos baseamos na Pedagogia de Paulo Freire, que se preocupa com o desvelamento do mundo em sua totalidade, com o educando como ser no mundo (interdependência e pertencimento) e responsável por ele (político-crítico), integrando o saber da experiência com o científico no sentido da ressignificação da visão de mundo concreto (sujeito epistemológico). A partir de pesquisa bibliográfica apresentam-se algumas contribuições articuladas com a possibilidade de uma educação ambiental freiriana. Destacamos algumas delas para a efetiva implantação de uma educação ambiental nessa perspectiva: uma ontologia do inacabamento que perpassa a cosmologia e a antropologia; a leitura de mundo como epistemologia crítica no diálogo de saberes; os círculos de cultura como metodologia adequada para o trabalho com as questões socioambientais e a práxis como ação-reflexão política em vista da construção de alternativas sustentáveis.</p> Ivo Dickmann Claudemir Stanqueviski ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 59 80 10.22483/2177-5796.2019v21n1p59-80 Cambio climático y educación ambiental: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3510 <p>En este escrito se indaga sobre las representaciones sociales (RS) que poseen los estudiantes de tres universidades privadas de la Ciudad de México, respecto al cambio climático, con el fin de explorar sobre la información, ideas, conocimientos y actitudes que manifiestan en su vida cotidiana en torno a este tema. El interés por conocer las representaciones sociales de los jóvenes universitarios, responde a su condición de sujetos <em>millennial</em>, que ubica y congrega una generación de consumidores y usuarios de los medios digitales, con nuevas características, necesidades y demandas de diversa índole, así como por tratar de conocer y comprender sus dinámicas de interacción, lenguaje e intercambios, sus preocupaciones, incertidumbres y expectativas de futuro, que se configuran en elementos fundamentales para abordar los temas relativos al medio ambiente, entre ellos, el cambio climático. Los resultados manifiestan que este grupo de universitarios cuenta con una cantidad importante de información y con una habilidad destacada para acceder a la misma, no obstante, algunas ideas, actitudes y conocimientos sobre los problemas que les rodean, no siempre son las apropiadas, e incluso, algunas son equivocadas, lo cual redunda de manera clara en sus niveles de compromiso y participación en los contextos socioambientales en los que se desenvuelven, al tiempo que manifiestan ciertos niveles de resistencia a colaborar por el hecho de que determinadas medidas orientadas a mitigar el cambio climático, ponen en riesgo sus niveles de bienestar.</p> Miguel Angel Arias Ortega Rosa María Mayela Limones Muñiz ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 81 99 10.22483/2177-5796.2019v21n1p81-99 A vida como aposta política: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3511 <p>A problematização da Educação Ambiental, da constituição de “si” e a própria vida objetificada com seus assujeitamentos atravessam a proposta de discussão trazida pelo texto. Lançando mão das problematizações empreendidas por Michel Foucault a respeito da importância de pensar nossa própria constituição e a capacidade de mudar o que se pensa e o que se faz, o artigo procura ressignificar a noção de “cuidado de si” a partir do aforismo estóico “altere o valor da moeda” articulando com a necessidade de se repensar determinados valores socioambientais. Considera urgente potencializar a Educação Ambiental com uma guinada ético-política que se configure em novas subjetividades capazes de engendrar um mundo comum.</p> Rosinei Ronconi Vieiras Martha Tristão ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 101 116 10.22483/2177-5796.2019v21n1p101-116 A natureza entre o rural e o urbano: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3512 <p>O presente artigo tem como objetivo estabelecer um diálogo em torno do conceito de natureza veiculado nas histórias em quadrinhos (HQs) do personagem Chico Bento e suas relações com as concepções presentes no campo de saber da Educação Ambiental (EA). Com a intenção de problematizar a forma como as HQs, através do discurso de natureza, vêm contribuindo para pensarmos sobre EA, selecionaram-se histórias do Chico Bento publicadas entre os anos de 2009 e 2013 que fazem referência a natureza. A partir de autores como Michel Foucault, Isabel Carvalho, Leandro Guimarães, Mônica Meyer, Keith Thomas, Raymond Williams, entre outros, foram analisadas as enunciações de natureza presentes &nbsp;neste <em>corpus de análise</em>. &nbsp;Assim, este artigo problematiza um enunciado, que constitui o discurso de natureza e EA por meio das histórias em quadrinhos: a natureza constituída nos deslocamentos operados pelas diferenças culturais entre realidades: a rural e a urbana.</p> Sérgio Ronaldo Pinho Junior Paula Corrêa Henning Virgínia Tavares Vieira ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 117 136 10.22483/2177-5796.2019v21n1p117-136 História ambiental e ensino de história: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3517 <p>O artigo trata da experiência de ensino realizada na disciplina “Tópicos Especiais I”, na graduação em História - Licenciatura da Universidade do Centro Oeste do Paraná - UNICENTRO, em 2015, no campus de Coronel Vivida, oeste do Paraná. Houve uma interessante interação entre Ensino de História e História Ambiental, em que foram trabalhados conteúdos significativos para os alunos, a partir do contexto da região em que estavam inseridos. A disciplina foi orientada pela problemática de abordar a história ambiental de forma a superar a narrativa dominante de destruição da natureza pelo ser humano. Nessa perspectiva, o conceito de Nowtopia possibilitou o aprendizado de relações humanos-natureza que rompem com a lógica consumista e individualista do mercado, e constroem relações de respeito e proteção ao ambiente, no sentido de ir além da concepção preponderante de disjunção entre sociedade e natureza, visando contribuir na formação dos acadêmicos como futuros professores de históri</p> Elenita Malta Pereira ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 137 156 10.22483/2177-5796.2019v21n1p137-156 Há uma horta no meio da cidade http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3514 <p>Este texto ressalta as perspectivas ecologistas das práticas pedagógicas realizadas em 2018 com as turmas de graduação em Pedagogia e Geografia, do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, permeadas por diálogos amorosos, estudos e problematizações de situações concretas que vivemos nos cotidianos como sujeitos históricos com capacidade de conhecer e intervir no mundo e com o mundo. Nosso desejo com esse artigo é apresentar movimentos de aprender e ensinar, que fazem parte das concepções do Projeto Narradores da Maré, com ênfase nos movimento ecologistas das práticas pedagógicas aqui expostas com narrativas e imagens. Nosso posicionamento se aproxima dos pensamentos de Paulo Freire e de Marcos Reigota conectados com as dimensões éticas, teóricas e metodológicas das perspectivas ecologistas de educação. Durante o semestre letivo criamos momentos de leituras, estudos e diálogos em sala de aula, oficinas de composteira, aulas de campo no centro histórico de Vitória e seminários de apresentação dos grupos de trabalhos.</p> Soler Gonzalez Andréia Teixeira Ramos ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 157 178 10.22483/2177-5796.2019v21n1p157-178 As escolas não tradicionais no século XXI: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3515 <p>Este trabalho foi elaborado a partir dos resultados da pesquisa de uma dissertação. Dessa forma, apresentamos aqui, sucintamente, o que são as Escolas Não Tradicionais (ENT) e por que as nomeamos assim. O intuito deste trabalho é apresentar para a comunidade possibilidades de repensar o modelo hegemônico educacional. Para tanto, apresentamos algumas escolas que, através de seus currículos, propiciam às comunidades outras formas de viver o processo da educação básica. Para apoiar nossos estudos apresentamos, no decorrer do texto, autores que exploram tal temática no campo da educação. Ademais, demarcamos três características recorrentes nas ENT e ilustramos, através das falas de documentários, como tais características nos permitem pensar as ENT como uma possibilidade de escola. Por fim, finalizamos trazendo algumas percepções das autoras nas quais discutimos como esta nova educação, ou, ainda, estas novas possibilidades de educação nos permitem repensar a relação dos sujeitos na sociedade.</p> Lavínia Schwantes Juliana Artigas Flores ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 179 202 10.22483/2177-5796.2019v21n1p179-202 A pedagogia de Maria Montessori para a educação na infância http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3193 <p>Maria Montessori reconheceu a infância como um período fértil no qual as potencialidades se desenvolvem rapidamente, e ressaltou a livre expressão e um ambiente adequado e motivador como fatores fundamentais para despertar a inteligência das crianças, de modo a prepará-las para a vida adulta. Ao considerar que a criança é um pequeno explorador do mundo ao seu redor, defendeu a liberdade de ação nessa interação, para a qual propôs a educação dos sentidos como elemento importante no trabalho do professor. O tripé atividade-individualidade-liberdade formava a base de seu trabalho e os estímulos externos eram considerados como determinantes para o desenvolvimento infantil. O propósito desse estudo de caráter bibliográfico é apresentar a concepção de Montessori sobre a infância e o trabalho pedagógico com crianças em espaços coletivos. O intuito é contribuir para a formação continuada de professores da infância no sentido de destacar a atualidade da proposta montessoriana no contexto escolar.&nbsp;</p> Jaqueline Delgado Paschoal Maria Cristina Gomes Machado ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 203 220 10.22483/2177-5796.2019v21n1p203-220 A evolução da família numa perspectiva histórica, legislativa e educacional http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/2594 <p class="Resumo">Ao longo da História, a família passou por diversas transformações. Com base nas leituras de alguns teóricos do Direito e da Sociologia, a pesquisa visa apontar várias características que deram, a seu tempo, uma moldura distinta aos diferentes modelos de família. Da fase patriarcal até a contemporânea, diversas nuances deram a entender que a família está em desordem. O estudo comenta os Códigos de Hamurabi e de Manu destacando a indissolubilidade do casamento e a obediência ao pater familias. Ressalta o Direito de Família na legislação brasileira que contribuiu para reconhecer a união homoafetiva como entidade familiar. As mutações sociais sugerem uma família recomposta. A pesquisa mostra uma visão educativa no sentido de prevenir a formação dos filhos. A natureza qualitativa da pesquisa apoia-se em obras bibliográficas e artigos da internet. Conclui que a família influencia a educação dos(as) filhos(as) e fortalece a convivência entre parceiros(as).</p> Maria do Rosario Pessoa Nascimento ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 221 241 10.22483/2177-5796.2019v21n1p221-241 Concepções acerca da formação docente em química: desafios e possibilidades http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3106 <p>A formação docente traz à tona inúmeros desafios para serem enfrentados num curso de formação universitária, e dentre eles está a constante tensão entre teoria e prática. Este trabalho tem como base as reformulações curriculares de um curso de Química Licenciatura de uma universidade comunitária do Rio Grande do Sul tendo como objetivo explorar as concepções estabelecidas pelos professores formadores, evidenciando desafios e possibilidades à formação docente. A pesquisa foi realizada com os professores envolvidos na reformulação curricular, que responderam a um questionário estruturado. O processo de análise foi realizado por meio da Análise Textual Discursiva. Os resultados são apresentados por figuras que contém as categorias que surgiram relacionando-as com as principais ideias emergentes. Entre esses, destacam-se a importância de desenvolver uma prática reflexiva ao longo da formação docente, ter disciplinas capazes de aliar saberes técnicos aos práticos e a necessidade do professor formador estar envolvido num processo de formação contínua.</p> Lairton Tres José Claudio Del Pino ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 243 261 10.22483/2177-5796.2019v21n1p243-261 Trabalho pedagógico no PIBID - Educação Física: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3199 <p>O estudo tem como objetivo analisar o trabalho pedagógico no PIBID - “Cultura esportiva da escola” e suas implicações para a formação inicial em Educação Física do CEFD/UFSM. Para a coleta das informações utilizou-se a Entrevista Semiestruturada, realizada com 10 participantes do subprojeto. Constatou-se que o trabalho pedagógico contribuiu para a formação inicial dos alunos participantes, através da aproximação da realidade escolar e das trocas de experiência, sendo mais qualificado que os estágios e as práticas de ensino. Entretanto, verificou-se que o trabalho pedagógico no subprojeto não repercutiu diretamente no curso de Educação Física do CEFD pela falta de articulação das ações do subprojeto PIBID com o Projeto Pedagógico de Curso.</p> Daiane Dalla Nora João Francisco Magno Ribas ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 263 278 10.22483/2177-5796.2019v21n1p263-278 Plano Nacional de Educação (2014-2024) sob influências do gerencialismo: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3382 <p>Este artigo é resultado de estudos realizado no pós-doutoramento em Educação. Tem por objetivo analisar a concepção de gestão expressa na meta 19 – gestão democrática, do Plano Nacional de Educação (2014-2024), documento organizado em 20 metas e estratégias, que expõe os problemas discutidos na área da educação brasileira. A investigação com base em fontes documentais mostrou que a referida meta apresenta um vínculo contraditório, entre gestão democrática e gerencial. A concepção de gestão democrática relacionada aos princípios constitucionais do ensino público, tem como elementos constitutivos a participação, o controle social e a cidadania. A gerencial centra-se na profissionalização da gestão, fundamentada em procedimentos administrativos usados nas empresas do mercado financeiro: eficiência, eficácia, produtividade, provocando afastamento da educação como processo histórico e prática social.</p> Nadia Bigarella Marilda de Oliveira Costa ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 279 294 10.22483/2177-5796.2019v21n1p279-294 Universidade em crise: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3225 Fábio Caires Correia Oneide Perius ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 295 315 Tempos difíceis sempre existiram: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3558 Karina Rousseng Dal Pont ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 317 333 Perfil do professor da educação básica http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3390 <p>Resenha da Obra: Carvalho, M.R. V. <strong>Perfil do professor da educação básica</strong>. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Brasília, 2018. (Série Documental. Relatos de Pesquisa, nº 41).</p> Enio Freire de Paula ##submission.copyrightStatement## 2019-05-01 2019-05-01 21 1 335 342 Enquanto uns ensinam, outros navegam: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3384 <p>Trata-se de resenha de uma Tese de Doutoramento da Universidade do Minho-Portugal que foi publicada no Brasil em 2017. O autor aborada a gestão de aprendizagem em contraposição à gestão de ensino em abiente virtual.</p> Ricardo José Orsi de Sanctis Eliete Jussara Nogueira ##submission.copyrightStatement## 2019-05-01 2019-05-01 21 1 343 347 Resumos das teses dos alunos de Doutorado em Educação 2018 http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3597 Educação em Mestrado ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 357 365 Parecerista ad hoc jan./abr. 2019 http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3643 Educação em Mestrado ##submission.copyrightStatement## 2019-05-28 2019-05-28 21 1 367 367 Resumos das dissertações dos alunos de Mestrado em Educação 2018 http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/3596 Educação em Mestrado ##submission.copyrightStatement## 2019-04-30 2019-04-30 21 1 349 356