O DÉFICIT ERÓTICO NA EDUCAÇÃO: UM PROBLEMA ÉTICO

Autores

  • Cinthia Alves Falchi

Resumo

Partimos das sexualidades como parte de um social estereotipado, por serem colocadas como discursos necessários na formação do sujeito que se reconhece e é reconhecido socialmente a partir de suas práticas sexuais e, ao mesmo tempo, parte combatida por serem formadas a partir de conflitos internos/externos, que culminam neste social normal/anormal. Considerando a intenção de formação de um sujeito sexual social, notamos que o sujeito perverso o é a partir da normalidade de um sujeito social determinado em razão do próprio perverso. Nosso objetivo é problematizar as sexualidades a ponto da não associação de papéis preestabelecidos especificamente a partir do sexo, interligando ao déficit pedagógico a erótica exposta quando notamos que há também um déficit erótico. A partir da genealogia foucaultina podemos visualizar em que medida nos encontramos sujeitados a uma história que cientificou nossos conhecimentos de nós mesmos, e que formulou um padrão de conhecimento do/a outro/a.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

FALCHI, C. A. O DÉFICIT ERÓTICO NA EDUCAÇÃO: UM PROBLEMA ÉTICO. Revista de Estudos Universitários - REU, v. 39, n. 1, 11.

Edição

Seção

Artigos