Morando na lua: uma análise semiótica da interface entre ciência, arte e imaginação nas aulas de ciências da natureza

  • João Eduardo Fernandes Ramos
  • Emerson Ferreira Gomes
  • Luís Paulo de Carvalho Piassi
Palavras-chave: Imaginação. Ensino de ciências. Ficção científica. Semiótica.

Resumo

Como seria morar na Lua? Esta foi a questão que propusemos aos alunos da disciplina Ciências da Natureza do Ciclo Básico de Grarduação, em uma Instituição de Ensino Superior do Estado de São Paulo. A pesquisa contou com a participação de vinte grupos, com até cinco alunos, e foi realizada durante uma disciplina cuja temática principal era a Exploração Espacial, seja ela real, como a viagem do homem a Lua, ou ficcional, apresentada a partir de diferentes materiais midiáticos, como músicas e literatura. Nosso intuito foi investigar a relação entre física e imaginação presente no trabalho escrito realizado pelos alunos. Como resultado foi possível observar, com o auxílio da semiótica greimasiana, a presença de sete categorias temáticas, além de concepções alternativas sobre a vida na Lua, como a necessidade da existência de gravidade. Junto a isto, foi possível observar também que alguns alunos conseguiram relacionar a ideia de morar na Lua com elementos do seu curso de graduação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
RAMOS, J.; GOMES, E.; PIASSI, L. Morando na lua: uma análise semiótica da interface entre ciência, arte e imaginação nas aulas de ciências da natureza. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 40, n. 1, p. p. 149-167, 11.