Revendo a oralidade no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras

  • Douglas Altamiro Consolo
Palavras-chave: Linguagem e língua. Ensino.

Resumo

O desejo de falar uma língua estrangeira (LE) pode, em alguns casos, ser associado ao "mito" de que sendo competentes em uma LE possamos ascender socialmente. A motivação para ser competente em uma LE decorre também da necessidade dessa língua como ferramenta na vida acadêmica e profissional. Esse tipo de motivação justifica a prioridade dada ao ensino da leitura em LE nas escolas brasileiras, embasada nas propostas dos Parâmetros Curriculares Nacionais Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental", Língua Estrangeira. Apesar da relevância das diretrizes propostas, este artigo salienta a relevância da competência oral no ensino/ aprendizagem de línguas estrangeiras, em contextos de educação formal no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-10-18
Como Citar
CONSOLO, D. Revendo a oralidade no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 26, n. 1, p. p. 59-68, 18 out. 2016.
Seção
Artigos