A MODERNIDADE LÍQUIDA E O BORRAMENTO DE FRONTEIRAS NO CAMPO DAS CIÊNCIAS

  • Paula Corrêa Henning Uniso
Palavras-chave: Modernidade sólida. Modernidade líquida. Ciência.

Resumo

O presente artigo traz como objetivo olhar para o tempo em que vivemos e as modificações que se instauram em nossas vidas frente a uma modernidade líquida. Para isso, aproxima-se especialmente de Zygmunt Bauman, sociólogo preocupado em estudar as transformações que nos constituem no século XXI. Delimitando o estudo, fazse uma olhada panorâmica para o campo das ciências e os borramentos de suas fronteiras diante dessa nova consistência moderna. Para essa empreitada, chama-se autores como Friedrich Nietzsche e Michel Foucault, na tentativa de olhar o campo de saber da ciência como um construto humano, que se produz diante de uma nova configuração. O desafio está em olharmos para ciência com alegria, incertezas e perplexidades, possibilitando aproximarmo-nos do convite de Nietzsche: a produção de uma gaia ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-08-23
Como Citar
HENNING, P. A MODERNIDADE LÍQUIDA E O BORRAMENTO DE FRONTEIRAS NO CAMPO DAS CIÊNCIAS. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 36, n. 1, 23 ago. 2010.
Seção
Artigos