CENTRO DE ENDEMISMO BELÉM: STATUS DA VEGETAÇÃO REMANESCENTE E DESAFIOS PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA

  • Arlete Silva de Almeida
  • Ima Célia Guimarães Vieira
Palavras-chave: Cobertura vegetal. Uso da terra. Centro de Endemismo. Amazônia.

Resumo

A Floresta Amazônica representa a última grande extensão de florestas tropicais do planeta e o Brasil detém a maior parte destas florestas. O Estado do Pará já possui 19% de sua área desmatada, sendo que a situação do chamado Centro de Endemismo Belém é o mais preocupante. Neste trabalho, avaliou-se a situação desse Centro de Endemismo, com relação ao uso da terra e cobertura vegetal por meio da classificação de imagens Landsat TM-5 dos anos de 2003 e 2004 e analisou-se o status das florestas remanescentes. Os remanescentes florestais primários ocupam 24% da área, sendo que 10% já se encontram em estado adiantado de degradação. Foram amostradas 340 espécies e 54 famílias de plantas, sendo 218 espécies arbóreas da floresta primária. As florestas primárias estão sofrendo degradação crescente e os fragmentos florestais precisam ser protegidos da ação do fogo. Trinta espécies de animais e plantas desse Centro de Endemismo já estão na lista de espécies ameaçadas de extinção do Pará e medidas de monitoramento desses remanescentes e das espécies ameaçadas e de restauração ecológica precisam ser urgentemente realizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-12-29
Como Citar
ALMEIDA, A.; VIEIRA, I. CENTRO DE ENDEMISMO BELÉM: STATUS DA VEGETAÇÃO REMANESCENTE E DESAFIOS PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 36, n. 3, 29 dez. 2010.
Seção
Artigos