REU - Revista de Estudos Universitários http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu <p style="text-align: justify;">A REU - Revista de Estudos Universitários é uma publicação semestral, <em>on line,</em> Interdisciplinar, da Universidade de Sorocaba, avaliada como Qualis B2 em Comunicação e Informação. A partir de 2014, passa a publicar trabalhos de pesquisadores vinculados a Programas de Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em>de instituições de educação superior nacional ou internacional, sob a forma de artigos, resenhas, entrevistas, resumos expandidos de dissertações e teses, todos relacionados a tema previamente determinado. ISSN Eletrônico - 2177-5788 | ISSN Impresso - 0102-6437</p> EdUniso - Editora da Universidade de Sorocaba pt-BR REU - Revista de Estudos Universitários 0102-6437 <p>Os manuscritos aceitos e publicados são de propriedade da Revista de Estudos Universitários. É vedada a submissão integral ou parcial do manuscrito a qualquer outro periódico. A responsabilidade do conteúdo dos artigos é exclusiva dos autores. É vedada a tradução para outro idioma sem a autorização escrita do Editor ouvida a Comissão Editorial.</p> Espaços urbanos http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3682 Maria Ogécia Drigo ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 07 07 Corridas de rua e vínculos com a cidade http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3633 <p>Este artigo pretende compreender a relação do corredor de rua com a cidade, seja como atividade de lazer, seja como atividade turística. No centro desta relação, encontram-se os eventos de pedestrianismo, verdadeiros elementos impulsionadores das diversas práticas de consumo que, por meio do espetáculo, estabelecem novas formas de relacionamento do consumidor com o espaço urbano. Para além das relações de consumo que se estabelecem por meio das competições, são discutidos os papeis da atividade esportiva e de lazer na construção de espaços urbanos e relações sociais.</p> Ethel Shiraishi Pereira Cláudio Novaes Pinto Coelho ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 09 21 10.22484/2177-5788.2019v45n1p09-21 Disputas narrativas na constituição das cidades sustentáveis http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3607 <p style="text-align: justify;">O estudo de caso sobre um programa de TV pode despertar a compreensão de como as disputas narrativas constroem o relato jornalístico sobre o cotidiano de uma metrópole em constante transformação. Esta é a proposta deste artigo que faz a análise de um dos episódios do programa <em>Cidades e Soluções</em>, exibido no canal <em>Globo News</em>, apresentando a disputa narrativa expressa na cobertura telejornalística sobre o processo de urbanização da zona portuária do Rio de Janeiro. O trabalho também aproxima autores que pensam a cidade – Perec, Simmel, Banchot, Certeau e Harvey – com os conceitos advindos da teoria do jornalismo, visando contribuir para o debate sobre a noção de cidade sustentável no jornalismo ambiental.</p> Leonel Azevedo de Aguiar Paula Miranda ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 23 37 10.22484/2177-5788.2019v45n1p23-37 Apontamentos sobre as leituras possíveis da cidade http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3629 <p class="western" style="margin-bottom: 0cm; line-height: 100%; text-align: justify;" align="justify"><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">Neste texto discutimos </span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">algumas das</span></span></span> <span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">possibilidades de abordagem teórica e metodológica do fenômeno urbano. Partimos da articulação do pensamento de </span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;"><span style="text-decoration: none;">alguns</span></span></span></span><u> </u><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">autores (LEFEBVRE, 1993, 1999, 2001a, 2001b, 2008; HARVEY, 1981, 2003, 2015; </span></span><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;"><em>et al.</em></span></span><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;"><span style="font-style: normal;">)</span></span></span><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;"> que se dedicaram ao estudo da cidade, tendo como problemática central as formas possíveis de enxergá-la: como e de onde olhá-la. Apresentamos, na primeira parte, visões que partem da cotidianidade urbana e acabam por revelar regularidades e universalidades. Na segunda parte, trazemos para o debate, principalmente, o pensamento da escola francesa de sociologia urbana,</span></span> <span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">que trata o fenômeno urbano como uma realidade estruturada e estruturante pelo modo de produção capitalista. Por fim, propomos uma perspectiva que pense a cidade a partir do estudo de uma cotidianidade contextualizada, em que os corpos, subjetividades e sujeitos espacializados sejam o objeto privilegiado, capaz de revelar a </span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">densidade</span></span></span> <span style="font-family: Verdana, serif;"><span style="font-size: small;">das contradições sociais.</span></span></p> <p class="western" style="margin-bottom: 0cm; line-height: 100%;" align="justify">&nbsp;</p> Mauricio de Melo Raposo Fernanda Salvo ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 39 54 10.22484/2177-5788.2019v45n1p39-54 Songdo - smart and clean http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3632 <p style="text-align: justify;">Resultado de investigações, ainda em curso, acerca das smart cities, este artigo analisa as contradições de uma cidade idealizada como perfeita, a Smart city Songdo (Coreia do Sul). Para isso, definimos inicialmente o que as empresas compreendem por Smart city e adentramos para a reflexão dos territórios e Multiterritórios, a dialogar com as propostas teóricas de Haesbaert, Santos e com as propostas filosóficas de &nbsp;&nbsp;Lefebvre, nos temas do direito à cidade e a revolução urbana, os quais também recorremos aos geógrafos Edward Soja e David Harvey. Michel Serres nos apresenta suas análises do mal limpo de nosso período atual, no qual a sociedade assume outras formas de demarcação de territórios ao produzir lixo e resíduos e tenta livrar-se deles. Diante dessas colocações, entendemos Songdo como uma distopia do capital global.</p> Paulo Celso Silva Júlio Dias Prestes ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 55 69 10.22484/2177-5788.2019v45n1p55-69 Pensar a vulnerabilidade a partir da ideia de trauma http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3606 <p style="text-align: justify;">A ideia de trauma, enquanto categoria psiquiátrica, põe em evidência a existência de uma vulnerabilidade comum. O dispositivo psiquiátrico, simultaneamente disciplinar e biopolítico, organiza a vulnerabilidade ao trauma segundo mecanismos de governamentalidade que têm em vista a racionalidade económica, a segurança da população e a constituição do individuo como empreendedor de si próprio. Assim, a vulnerabilidade é sinalizada, diferenciada e qualificada como negativa, de forma a preservar a segurança dos sujeitos e da população. Procura-se neste artigo, fundamentalmente a partir das obras de Michel Foucault e de Alasdair MacIntyre, analisar o dispositivo psiquiátrico no governo da vulnerabilidade e&nbsp; reflectir se pode este governo ocorrer de outra forma, em que o reconhecimento da vulnerabilidade e da dependência seja o caminho para contruir comunidades com uma diferente partilha do espaço urbano que procurem o bem comum.</p> Cátia Guerra ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 71 86 10.22484/2177-5788.2019v45n1p71-86 A cobertura dos protestos de 2013 e o seu reflexo na política de mobilidade urbana da cidade de São Paulo http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3548 <p style="text-align: justify;">Este artigo apresenta resultados de pesquisa realizada com o objetivo de gerar conhecimento científico sobre a qualidade das informações ofertadas pelos dois maiores veículos da cidade de São Paulo, <em>Folha de S.Paulo</em> e o <em>Estado de S. Paulo</em> em junho de 2013, quando o Brasil foi surpreendido por um grande número de manifestações de rua, totalizando 234 matérias no período de 7 a 21 de junho de 2013, ápice dos protestos. O estudo investigou, por meio da análise de conteúdo e revisão bibliográfica, de que forma a macromídia ou mídia convencional cobriu os protestos; além de apresentar como os dois principais jornais brasileiros online abordaram o tema e os atores envolvidos. Diante dos resultados, o estudo forneceu indicações de que apesar do cenário conflituoso, São Paulo soube aproveitar a oportunidade, pois a partir dele, o município criou um conselho para a área de transporte e trânsito na conjuntura dos Protestos.</p> Deborah Ramos Silva Paula Keiko Poloni Maria Teresa Miceli Kerbauy ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 87 106 10.22484/2177-5788.2019v45n1p87-106 Tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista paulista http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3626 <p style="text-align: justify;">O objetivo deste trabalho foi verificar como a imprensa organiza a argumentação entre diferentes posições-sujeito materializadas no discurso sobre o movimento estudantil. Para tanto, foram analisadas sequências discursivas extraídas de matérias jornalísticas – publicadas na editoria de educação do jornal <em>Folha de São Paulo</em> – sobre as ocupações de escolas realizadas pelos estudantes secundaristas paulistas em 2015. No <em>corpus</em> foram identificadas duas designações diferentes e opostas: invasão e ocupação, que indicam o tensionamento discursivo em torno do movimento secundarista e, num sentido lato, como as manifestações da questão social são abordadas. Constatou-se que a designação invasão, que remete à posição-sujeito do governo estadual, apoia-se no direito à posse/administração do estabelecimento educacional, enquanto a designação ocupação, que remete à posição-sujeito dos estudantes secundaristas, apoia-se no direito ao ensino público.</p> Vanderlei de Castro Ezequiel Fernanda Stella Cavicchia Maria Ribeiro do Valle ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 107 128 10.22484/2177-5788.2019v45n1p107-128 Democracia e ética em tempos de fake news http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3604 <p style="text-align: justify;">Trata-se de um estudo reflexivo sobre questões democráticas e éticas em um período de profusão noticiosa e até de agendamento de notícias falsas. Aborda-se como o atual presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, do Partido Social Liberal, utiliza a rede social <em>Twitter</em> para discutir, ou não, ética e democracia em um campo de narrativas jornalísticas contemporâneas. Objetiva-se analisar, destacar e mapear os tweets do presidente durante os seus três primeiros meses de governo e refletir o fenômeno. Através de uma análise de conteúdo e reflexões sobre as postagens do presidente, que também orgulha-se de utilizar a rede social para reverberar suas ideias e as ideias do governo, nota-se que diretamente pouco ele tem abordado questões sobre democracia em suas instâncias tradicionais e seus destaques sobre ética, sendo que em termos éticos consistem em achacar a mídia tradicional e profissionais de imprensa, fazendo que tenhamos um Governo mais pelas redes sociais que pelas vias tradicionais contemporâneas. O artigo também discute se isso é ou não uma nova estratégia de governo e o que depreenderia da democracia e ética, tidas como elementos que formam a conjuntura para o exercício do jornalismo.</p> Orlando Maurício de Carvalho Berti Sônia Maria dos Santos Carvalho ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 129 144 10.22484/2177-5788.2019v45n1p129-144 Semiótica e memética http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3634 <p style="text-align: justify;">Os memes são fenômenos comunicacionais que se expandem nas redes digitais penetrando as sociedades e sociabilidades pela ubiquidade em que vivemos. Passam a ser objetos de estudo tanto da semiótica quanto da memética. Nesse sentido, nosso objetivo é comparar sob um olhar epistemológico, o referencial teórico semiótico de Peirce com aquele que a mais jovem memética de Dawkins nos proporciona. Os objetos de estudo popularmente nomeados como memes são compreendidos também sob as relações lógicas dos signos. A semiose peirciana é vista com vivacidade nesses produtos midiáticos que unem tecnologia e cultura a favor da potencialização da comunicação simbólica. Entender as posições e usos dos referenciais frente ao meme é relevante à pesquisa em comunicação. Desejamos explorar esse tema bem como incentivar novos estudos na área, uma vez que o cenário atual demanda uma semiótica robusta e esboça uma memética que se populariza. Ao fim deste percurso reflexivo entendemos que a semiótica de Peirce e a memética de Dawkins, com todas as suas diferenças de origem, temporalidades e objetivos, são rentáveis aos estudos dos memes.</p> Clotilde Perez Eduardo Correa de Godoy ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 145 159 10.22484/2177-5788.2019v45n1p145-159 A telepoética em "Carrossel" http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3586 <p style="text-align: justify;">A telepoética é entendida como o modo de criação de produtos televisivos, a partir de suas temáticas, narrativas e estilo. Dentro desse escopo, uma vertente que tem despertado a atenção é a telepoética infantojuvenil, isto é, como são desenvolvidas as obras de ficção televisiva destinadas a crianças e adolescentes. O objetivo geral deste artigo é ampliar as discussões sobre telepoética, sobretudo no âmbito do audiovisual infantojuvenil, a partir de uma abordagem que unifica procedimentos narrativos e traços estilísticos. Para isso, analisa-se, neste trabalho, um conjunto de cenas que compõem a matriz melodramática da telenovela <em>Carrossel</em> (SBT, 2012-2013). A metodologia adotada envolve a análise narrativa a estilística, ancorada em autores como Jean-Marie Thomasseau, David Bordwell e Simone Maria Rocha. Os resultados apontam que a telepoética do SBT, despertada na referida obra, dispõe de uma narrativa calcada no melodrama clássico e um estilo fomentado por exageros e pleonasmos.</p> João Paulo Hergesel ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 161 191 10.22484/2177-5788.2019v45n1p161-191 O espírito do tempo das eras dos quadrinhos http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3569 <p style="text-align: justify;">O presente artigo tem como intuito analisar a narrativa transmídia do personagem Batman nos jogos eletrônicos e verificar como ocorre o processo de transição entre as hq’s e <em>games</em> na cultura contemporânea. Para tal, será utilizado como objeto de análise a trilogia de Batman Arkham Asylum de 2009, Batman Arkham City de 2011 e Batman Arkham Knight de 2015, submetendo elementos estéticos e narrativos as teorias da Era dos Quadrinhos e do Espírito do Tempo, assim como as percepções sobre a cultura contemporânea e as estratégias comerciais da narrativa transmídia. Por fim, o artigo procura discorrer sobre como tal processo dualógico de influência têm renovado a importância do personagem na cultura contemporânea e também na captação de novos leitores que mantém Batman pertinente mesmo depois de oito décadas após sua criação.</p> Rafael Iwamoto Tosi ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 193 206 10.22484/2177-5788.2019v45n1p193-206 Viver em áreas de risco http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3628 Íris Adriane Santoro Cardoso ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 207 209 Rádios livres sorocabanas http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3683 Felipe Parra Luciano Victor Barro Maluly ##submission.copyrightStatement## 2019-08-06 2019-08-06 45 1 211 220