Narrativas da contemporaneidade: epistemologia do diálogo social

Autores

  • Cremilda Medina

Resumo

O prazer pela narrativa surge na infância da autora e vai se disciplinar ao longo dos estudos acadêmicos e profissionalização no Jornalismo. Teoria e prática da reportagem, ou das narrativas da contemporaneidade, se enraízam nos anos 1960, em Porto Alegre, mas, após a mudança para São Paulo, em janeiro de 1971, terão um intenso desenvolvimento tanto na pesquisa universitária quanto no exercício da comunicação social.

Nas etapas dessa trajetória, recuperam-se aqui diferentes momentos da dialogia, eixo central de investigação fixado em livros de Cremilda Medina e coletâneas por ela organizadas. Em síntese, apontam-se os seguintes desafios epistemológicos: responsabilidade social nas mediações do jornalista; pesquisa da narrativa cúmplice com a polifonia; visão de mundo e atitude abertas à complexidade racional, à sensibilidade intuitiva e à estética inovadora; intercâmbio interdisciplinar com outras áreas de conhecimento no contexto de paradigmas em crise e construção de novas noções para operar o Diálogo Social.

De oficinas pedagógicas nas universidades brasileiras e do Exterior, resulta a defesa do autor da assinatura coletiva, presente nas narrativas da contemporaneidade.

Já tive a oportunidade de registrar em um de meus livros (MEDINA,2003) que a narrativa  expressa a necessidade de reagir ao caos da história, criando um cosmo simbólico. O que mobiliza a produção cultural, ou seja, a autoria da narrativa organiza e atribui significados ao acontecer cotidiano ou aos fatos extraordinários. Ideias, comportamentos, ação coletiva compõem a cena simbólica da narrativa. Além disso, quando o autor age com inteligência plena – razão complexa, sensibilidade intuitiva e estética inovadora – cria um ou vários narradores para darem conta da pluralidade de protagonistas da circunstância humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2014-11-30

Como Citar

Medina, C. (2014). Narrativas da contemporaneidade: epistemologia do diálogo social. Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 2(4). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/article/view/2030