Avaliação da implantação do planejamento estratégico em uma universidade pública

barreiras, facilitadores e eficácia

Palavras-chave: Planejamento estratégico, Gestão universitária, Universidade pública

Resumo

O planejamento estratégico, embora difundido devido as vantagens proporcionadas às organizações, encontra dificuldades para ser implantado em ambientes dinâmicos e complexos, como os das instituições de ensino superior. Todavia, há fatores que incidem como facilitadores a essa implantação, auxiliando organizações a alcançarem eficácia. Nesse contexto, o presente artigo objetivou avaliar o processo de planejamento estratégico implantado em uma universidade pública brasileira. Buscou-se identificar as barreiras e os facilitadores, assim como o alcance da eficácia do planejamento estratégico. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas junto a gestores que atuam diretamente com o planejamento. Para definir o número de participantes da pesquisa, utilizou-se a saturação teórica. Entre as barreiras mais expressivas encontradas, citam-se a comunicação distorcida entre as unidades internas e ausência de sintonia entre o que é planejado e o que é realizado. O apoio da alta administração obteve destaque como facilitador ao processo. Por fim, concluiu-se que o planejamento estratégico é viável e é benéfico à Universidade, entretanto não se pode afirmar que ele esteja implantado de forma eficaz em todos os setores da instituição.

Referências

ANSOFF, H. I.; McDONNELL, E. J. Implantando a administração estratégica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1993.

ARAÚJO, M. A. D. Planejamento estratégico: um instrumental à disposição das universidades? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, n. 30, p. 74-86, jul./ago.1996.

ATHANÁZIO, M. M. Processo de planejamento estratégico em universidade pública: o caso da Universidade Federal do Pará, 2010. 153 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Pará, Natal, 2010.

BALDRIDGE, J. V. Power and conflict in the university. New York: John Wiley, 1971.

BALDRIDGE, J. V. Alternative model of governance in higher education. In: RYLEY, G. L.; BALDRIDGE, J. V. Governing academic organizations: new problems, new perspectives. Berkeley: McCutchan Publishng Corporation, 1977. p. 2-25.

BALDRIDGE, J. V. Organizational characteristics of colleges and universities. In: BALDRIDGE, J. V.; DEAL, T. The dynamics of organizational change in educations. California: McCutchan Publishing Corporation, 1983.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2006.

BODINI, V. L. Planejamento Estratégico em Universidades. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 18, 1998. Anais [...]. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 1998.

BRASIL. Decreto n. 5.773, de 09 de maio de 2006. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior e cursos superiores de graduação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 maio, 2006.

BRYSON, J. M. A Strategic planning process for public and nonprofit organizations. Long Range Planning, Great Britain, v. 21, n. 1, p. 73-88, 1988.

BRYSON, J. M. The future of public and nonprofit strategic planning in the United States. Public Administration Review, USA, v. 10, n. especial, p. 255-267, 2010.

BUCKLAND, R. Private and public sector models for strategies in universities. British Journal of Management, London, v. 20, n. 4, p. 524-536, 2009.

CARDOSO, O. Comunicação empresarial versus comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 6, p.1123-1144, 2006.

CARVALHO, R. F. Limites, possibilidades e desafios no processo de gestão e participação das IFES/UFT. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 18, n. 2, p. 351–372, 2013.

CASTRO, A. G. Metodologia de planejamento estratégico das unidades do MCT. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2005.

COHEN, M. D.; MARCH, J. G.; OSLEN, J. P. A garbage cam model of organization choice. Administrative Science Quarterly, New York, USA, v. 17, p. 1-25, 1972.

CUNHA, C. J. C. A. Planejamento estratégico: uma abordagem prática. Florianopolis: NEST-UFSC, 1996.

DEGN, L. Sensemaking, sensegiving and strategic management in Danish higher education. Higher Education, USA, v. 69, n. 6, p. 901-913, 2014.

ELLSTRÖN, P. Quatro faces das organizações educacionais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 23, n. 3, p. 449-461, set./dez. 2007.

ESTRADA, R. J. S. Os rumos do planejamento estratégico na universidade pública: um estudo de caso na Universidade Federal de Santa Maria. 2000. 206f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2000.

FALQUETO, J. M. Z. Planejamento estratégico na UNB. 2012. 192 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

FALQUETO, J. M. Z.; FARIAS, J. S. A trajetória e a funcionalidade da universidade pública brasileira. Revista GUAL, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 22-41, jan. 2013.

FERNANDES, B. H. R.; BERTON, L. H. Administração estratégica: da competência empreendedora a avaliação de desempenho. São Paulo: Saraiva, 2005.

FONTANELLA, B. J. B.; JANETE, R.; TURATO, E. R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, p. 17-27, jan. 2007.

GALLAS, J. C. Comportamento estratégico, ambiente organizacional e desempenho: um estudo com pequenas empresas de beleza estética. 2008. 87 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade do Vale do Itajaí, Biguaçu, 2008.

GRATERON, I. R. Auditoria de gestão: utilização de indicadores de gestão no setor público. Caderno de Estudos, São Paulo, n. 21, maio/ago. 1999.

HARDY, C.; FACHIN, R. C. Gestão estratégica na universidade brasileira: teoria e casos. 2. ed. Porto Alegre: Editora Universidade, 2000.

KAHVECI, T. C. et al. Quality Assurance in Higher Education Institutions Using Strategic Information Systems. Procedia - Social and Behavioral Sciences, Elsevier (Science Direct), v. 55, n.5, p. 161–167, 2012.

DOI: 10.1016/j.sbspro.2012.09.490

MARCELINO, G.; MATIAS-PEREIRA, J.; BERBERT, C. O. Gestão estratégica em ciência e tecnologia: avaliação de uma experiência de alinhamento estratégico no governo federal. In: MENDONÇA, G. M. Estudos contemporâneos em organização e gestão. São Luiz: Editora Universidade Estadual do Maranhão, 2008. p. 111-148.

MARINHO, A.; FAÇANHA, L; O. Programas sociais: efetividade, eficiência e eficácia como dimensões operacionais da avaliação. Brasília: IPEA, 2001.

MATIAS-PEREIRA, J. Administração estratégica: foco no planejamento estratégico. São Paulo: Atlas, 2011.

MEYER JUNIOR, A. Considerações sobre o planejamento universitário: mito e realidade. In: FINGER, A. P. (org.) Universidade: organização, planejamento e gestão. Santa Catarina: NUPEAU/UFSC, 1988.

MEYER JUNIOR, A. Planejamento estratégico: uma renovação na gestão das instituições universitárias. In: SEMINÁRIO: A ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIARUMO AO ANO 2000, 1991, Florianópolis: CPGA/UFSC, 1991.

MEYER JUNIOR, A. Planejamento Universitário: ato racional, político ou simbólico – um estudo de universidades brasileiras. Revista Alcance, Santa Catarina, v. 12, n. 13, p. 373-389, set/dez. 2005.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MINTZBERG, H.; LAMPEL, J.; AHSLTRAND, B. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MORITZ, M. O. et al. A implantação do Planejamento estratégico em organizações complexas: o caso da Universidade do Estado de Santa Catarina. Revista GUAL, Florianópolis, v. 5, n. 1, jan./abr, 2012.

MOTTA, P. R. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. Rio de Janeiro: Record, 2002.

MURIEL, R. Plano de desenvolvimento institucional: análise do processo de implantação. Espírito Santo: Hoper, 2006.

NAUFFAL, D. I.; NASSER, R. N. Strategic planning at two levels: contrasting strategic planning processa at Qatar University (public) and Lebanese American University (private). Planning for Higher Educaton, USA, v. 40, n. 4, p. 32-39, 2012.

NUNES, E. B.; DUARTE, M. M.; PEREIRA, I. C. A. Planejamento e Avaliação Institucional: um indicador do instrumento de avaliação do SINAES. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 22, n. 2, p. 373-374, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772017000200373&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 13 nov. 2017.

OLIVEIRA, D. Planejamento estratégico. São Paulo: Atlas, 2009.

PARK, J. E. A Case study analysis of strategic planning in a continuing higher education organization. Thesis PhD in Philosophy) – College of Education, Pennsylvania State University, Pennsylvania, 1997.

PFEFFER, J.; SALANCIK, G. R. Organizational decision making as a political process: the case of a university budget. Administrative Science Quarterly, Sage Publishing, v. 19, p. 135-151, 1974.

POISTER, T. H. The future of strategic planning in the public sector: linking strategic management and performance. Public Administration Review, USA, n. 10, p. 246-254, 2010.

RASMUSSEM, U.W. Manual da metodologia do planejamento estratégico. São Paulo: Aduaneiras, 1990.

REBELO, L. M. B. A dinâmica do processo de formação de estratégias de gestão em universidades: a perspectiva da teoria da complexidade. 2004. 278 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, 2004.

REZENDE, D. A. Planejamento estratégico público ou privado: guia para projetos em organizações de governo ou de negócio. São Paulo: Atlas, 2011.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SALEME. W. Planejamento universitário: um instrumento eficaz. In: CARVALHO, A. O. (orgs). Administração contemporânea. Belo Horizonte: UFMG, 1988.

SOUZA, I. M. Gestão das universidades federais brasileiras: uma abordagem fundamentada na gestão do conhecimento. 2009. 398 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

THIRY-CHERQUES, H. R. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. Revista Brasileira de Pesquisas em Marketing, São Paulo, v. 3, set. 2009.

TRIGUEIRO, M. G. S. Universidades públicas: desafios e possibilidades no Brasil contemporâneo. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.

VIEIRA, E.; VIEIRA, M. Funcionalidade burocrática nas universidades federais. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 181-200, abr./jun. 2004.

WEICK, K. E. The presumption of logic in executive thought and action (prepared for the Symposium Functioning of the Executive Mind; Case Western Reserve University). In: SRIVASTVA, S. (ed.). The Executive Mind. San Francisco: Jossey-Bass, 1983. p.221-243.

WRIGT, P.; KROLL, M. J.; PARNELL, J. Administração estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas, 2011.

ZHANG, A. Learning strategic planning from Australian and New Zealand university experience. Chinese Education and Society, University of Michigan, Ann Arbor, USA, v. 47, n. 2, 2014.

Publicado
2019-09-18
Como Citar
Falqueto, J. M. Z., Hoffmann, V. E., Cancellier, Éverton L. P. de L., & Miranda Júnior, N. da S. (2019). Avaliação da implantação do planejamento estratégico em uma universidade pública. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 24(2). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs3/index.php/avaliacao/article/view/3716
Seção
Artigos