Normose Acadêmica

como superar a ‘doença da normalidade’ na Universidade

Palavras-chave: Normose acadêmica, Avaliação acadêmica, Produtivismo acadêmico

Resumo

No presente artigo me proponho a discutir o que entendo ser uma doença da academia atual, que denominei de Normose Acadêmica. Nele defino-a como o adoecimento do sistema de produção de conhecimento e formação acadêmica que conduz à burocratização da produção e inibe a atividade intelectual criativa, levando a uma improdutiva normalização da produção científica. No artigo tento desvendar a extensão, implicações e causas da Normose, discuto as razões de sua persistência e levanto propostas para a mitigação de seus danos e possível cura. Concluo afirmando a necessidade de fomentar a discussão para que se encontrem caminhos que nos ofereçam uma vida acadêmica mais realizadora e com melhor uso dos recursos e espaços públicos.

Referências

AITKENHEAD, Decca. Peter Higgs interview: “I have this kind of underlying incompetence”. The Guardian, 6 dez. 2013. Disponível em: https://www.theguardian.com/science/2013/dec/06/peter-higgs-boson-academic-system. Acesso em: 15 abr. 2018.
BURNS, Tom; STALKER, George Macpherson. The management of inovation. Londres: Tavistock, 1961.
CLEGG, Stewart; HARDY, Cynthia. Introdução: organização e estudos organizacionais. In: CLEGG, Stewart; HARDY, Cynthia; NORD. Walter (orgs.) Handbook de estudos organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1999. v. 1.
CROZIER, Michel. O fenômeno burocrático: ensaio sobre as tendências burocráticas dos sistemas de organização modernos e suas relações, na França, com o sistema social e cultural. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1981.
DiMAGGIO, Paul; POWELL, Walter. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality. In: DiMAGGIO, Paul; POWEL, Walter. The new institutionalism in organizational analysis. Chicago; London: The University of Chicago Press, 1991.
DU GAY, Paul. Making up managers: bureaucracy, enterprise and the liberal art of separation. BJS, London, v. 45, n. 4, p. 655-674, dec. 1994.
DU GAY, Paul. In Praise of Bureaucracy: Weber, organisation, ethics. London: Sage, 2000.
DUBAR, Claude. La formation professionnelle continue. 5. ed. Paris: La Découverte, 2004.
DZENG, Elizabeth. How academia and publishing are destroying scientific innovation: a onversation with Sydney Brenner. King’s Reviw, 24 fev. 2014. Disponível em: http://kingsreview.co.uk/magazine/blog/2014/02/24/how-academia-and-publishing-are-destroying-scientific-innovation-a-conversation-with-sydney-brenner/. Acesso em: 15 abr. 2018.
ESCOBAR, Herton. A ciência brasileira tem de ser mais ousada. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 29 nov. 2013.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 11. reimp. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.
MARAVELIAS, Christian. Freedom at work in the age of postbureaucratic organization. Ephemera: theory & politics in organization, London, v. 7, n. 4, p. 555-574, 2007.
McDOUGALL, Joyce. Em defesa de uma certa anormalidade: teoria e clínica psicanalítica. Porto Alegre: Artes Médicas. 1978.
MERTON, Robert. Estrutura burocrática e personalidade. In: CAMPOS, Edmundo (org.). Sociologia da burocracia. 4. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1977.
PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. Da administração burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 47, n. 1, jan./abr. 1996.
MEYER, John; ROWAN, Brian. Institutionalized organizations: formal structure as myth and cerimony. In: DiMAGGIO, Paul; POWEL, Walter. The neoinstitutionalism in organizational analysis. Chicago; London: University of Chicago Press, 1991.
SCHEKMAN, Randy. Por qué revistas como ‘Nature’, ‘Science’ y ‘Cell’ hacen daño a la ciência. El País, 11 dez. 2013. Disponível em: https://elpais.com/sociedad/2013/12/11/actualidad/1386798478_265291.html. Acesso em: 15 abr. 2018.
SCOTT, William Richard. Institutions and organizations. London; New Delhi: SAGE publications, 1995.
SOUZA, Renato Santos de. A condição organizacional: o sentido das organizações no desenvolvimento rural. Santa Maria: Ed. da Ufsm, 2012.
SOUZA, Renato Santos de. A normose acadêmica. In: NASCIMENTO, L. F. Lia, mas não escrevia. Porto Alegre, 2014a.
SOUZA, Renato Santos de. Normose acadêmica. Jornal GGN, 27 jun. 2014b. Disponível em: https://jornalggn.com.br/noticia/a-normose-academica/. Acesso em: 15 abr. 2018.
SOUZA, Renato Santos de. A doença da normalidade na universidade. Pragmatismo Político, 3 jul. 2014c. Disponível em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/07/a-doenca-da-normalidade-na-universidade.html. Acesso em: 15 abr. 2018.
SOUZA, Renato Santos de; PERONI, Neimar. Estratégias, planejamento e avaliação em uma organização de extensão rural: o caso da EPAGRI. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE B RASILE IRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 53., 2015, Brasília. Anais... Brasília: SOBER. 2015.
WEBER, Max. Parlamentarismo e governo numa Alemanha reconstruída. In: WEBER, Max. Textos Selecionados. São Paulo: Nova Cultural, 1997. Coleção os Economistas.
WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. São Paulo: Editora UnB/Imprensa Oficial, 2004. v. 2.
W EIL, Pierre; LELOUP. Jean Yves; CREMA, Robert. Normose: a patologia da normalidade. Porto Alegre: Vozes. 2011.
Publicado
2019-09-19
Como Citar
Souza, R. S. de. (2019). Normose Acadêmica. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 24(2). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs3/index.php/avaliacao/article/view/3722
Seção
Artigos