A taxa de conclusão de curso da graduação nas universidades federais antes e depois do REUNI

as vicissitudes da implementação da política

Palavras-chave: Programa REUNI, Implementação de Políticas Públicas, Taxa de Conclusão de Curso de Graduação

Resumo

Examina-se o alcance da meta do Reuni de elevar a taxa de conclusão dos cursos de graduação presenciais para 90%, verificando os resultados alcançados nas regiões por meio dos parâmetros definidos pelos formuladores. Analisam-se os resultados da implementação, comparando os fins estipulados com os atingidos com base nos documentos e regulamentos do Programa, relatórios de acompanhamento e dos Censos de Educação Superior de 2008 a 2012. Constatou-se que antes do Reuni a TCG em 57,2% das IFEs era de 67 a 90% e no final, em 58,5%, de 44 a 67%, havendo mais unidades próximas dessa do que daquela. O indicador foi menor em todas as regiões, sendo maior a redução na Norte, que teve TCG menor 17,3% no final e registrou 5 TCG igual ou superior a 90% durante a implementação enquanto na Sudeste foram 13. Nesta, teve-se o melhor resultado em 2012 – TCG de 108,5%, na Universidade Federal de Alfenas, naquela, o pior, 36% da Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA, cujas TCGs no início eram, respectivamente, 102,5% e 64,7%. Portanto, uma já apresentava os resultados desejados, a outra distava 25,3 pp. As diferenças, contudo, não foram consideradas pelos formuladores da política quando traçaram a meta, evidenciando as limitações do seu diagnóstico ou do seu modelo causal e, fundamentalmente, como o contexto da prática altera as políticas formuladas. Por conseguintes, o reduzido número de instituições que alcançaram a meta indica tanto problemas na formulação do texto do Reuni quanto a recriação a que esse foi submetido pelo contexto.

Referências

ANDIFES. Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior. Relatório de acompanhamento do programa de apoio a planos de reestruturação e expansão das universidades federais (REUNI). Brasília, 2003.

ARAÚJO, M. A. D.; PINHEIRO, H. D. Reforma gerencial do Estado e rebatimentos no sistema educacional: um exame do REUNI. Ensaio, Belo Horizonte, v. 18, n. 69, p. 647- 668, out./dez. 2010.

BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio aos Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, Seção 1, p. 7, 25 de abril de 2007a.

BRASIL. Decreto Presidencial n. 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União, em regime de colaboração com municípios, Distrito Federal e Estados. Diário Oficial da União, Brasília, 24 abr. 2007b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Superior. Diretrizes gerais do programa de apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Brasília – DF, 2007c. Disponível em http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/diretrizesreuni. Acesso em: 5 ago. 2016.

FREY, K. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Revista de Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 21, p. 211-259, jun. 2000.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. Brasília, 2008. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 jan. 2016.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. Brasília, 2009. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 jan. 2016.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. Brasília, 2010. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 20 jan. 2016.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. Brasília, 2011. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 jan. 2016.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. Brasília, 2012. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 jan. 2016.

LIMA, L. C.; AZEVEDO, M. L. N.; CATANI, A. M. O processo de Bolonha, a avaliação da educação superior e algumas considerações sobre a Universidade Nova. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 13, n. 1, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/aval/v13n1/a02v13n1.pdf. Acesso em: 23 jun. 2017.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a03v27n94.pdf. Acesso em: 4 jun. 2018.

RUA, M. G.; ROMANINI, R. Para aprender políticas públicas. Conceitos e teorias. Brasília: IGEPP, 2012. v. 1.

SABÓIA, R. M. O Reuni na UFAM: repercussões na gestão pedagógica. 2015. 185f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Amazônia, Manaus, 2015.

SILVA, P. L. B.; MELO, M. A. B. O processo de implementação de políticas públicas no Brasil: características e determinantes da avaliação de programas e projetos. Caderno NEPP/UNICAMP, Campinas, n. 48, p. 1-16, 2000.

ROCHA, A. V. Probabilidade e estatística. João Pessoa-PB: Editora da UFPB, 2014.

TONEGUTTI, C. A.; MARTINEZ, M. A universidade nova, o REUNI e a queda da universidade pública. v. 10, 2009. Disponível em: www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo-2008-1. Acesso em: 4. set. 2015.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS. Relatório de gestão da UNIFAL de 2012. Alfenas: UNIFAL-MG, 2013.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÓNIA. Relatório de gestão da UFRA de 2012. Belém: UFRA – PA, 2013.

Publicado
2019-09-20
Como Citar
Moura, M. Águida P., & Passos, G. de O. (2019). A taxa de conclusão de curso da graduação nas universidades federais antes e depois do REUNI. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 24(2). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs3/index.php/avaliacao/article/view/3726
Seção
Artigos