O momento da tragédia

o papel da educação e da saúde na perspectiva da justiça social

Palavras-chave: Tragédia, Educação, Saúde

Resumo

O artigo aborda um tema ainda pouco debatido no campo da Educação e da Saúde, apesar de todos os avanços das tecnologias da informação e comunicação (TICs), que nos põem em contato com acontecimentos trágicos e catastróficos que ocorrem no mundo a toda hora. O texto parte da análise do “momento da tragédia”, questionando o antes e o depois, bem como alguns conceitos em contraste que são caros a essa discussão, como é o caso de natural e humano. A seguir, é feita uma descrição e análise de uma experiência vivenciada, que serve para tensionar alguns conceitos da área de Educação e Saúde. O objetivo é repensar as políticas públicas de Educação e direitos sociais para a formação de uma cultura contra os desastres e para uma percepção dos eventos como construções sociais e humanas. Mais especificamente, defende a ideia de que a redução dos fatores fundamentais de risco deve ser associada à diminuição das desigualdades, cerne das questões de justiça social.

Referências

AGUIAR, Raphael Augusto Teixeira de. A construção internacional do conceito de atenção primária à saúde (APS) e sua influência na emergência e consolidação do sistema único de saúde no Brasil. 2003. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003. Disponível: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/ECJS-76RHW7/raphael_augusto_teixeira_de_aguiar.pdf?sequence=1. Acesso em: 24 jun. 2018.
AVISO. Information Bulletin on Global Environmental Change and Human Security, n. 14, oct. 2005. Disponível em: http://www.ihdp.unu.edu/docs/Publications/GECHS/Aviso/Aviso14-2005.pdf. Acesso: 24 jun. 2018.
BRAGA, Tania Moreira; OLIVEIRA, Elzira Lúcia de; GIVISIEZ, Gustavo Henrique Naves. Avaliação de metodologias de mensuração de risco e vulnerabilidade social a desastres naturais associados à mudança climática. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 81-95, jan./mar. 2006.
BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Secretaria de Defesa Civil. Política Nacional de Defesa Civil. Brasília-DF, 2000. Disponível em: http://www.defesacivil.mg.gov.br/images/documentos/Defesa%20Civil/manuais/Pol%C3%ADtica-Nacional-de-Defesa-Civil.pdf. Acesso em: 24 out. 2018.
CARDONA, Omar. The need for rethinking the concepts of vulnerability and risk from a holistic perspective: a necessary review and criticism for effective risk management. In: BANKOFF, Greg; FRERKS, Georg; HILHORST, Dorothea (eds.). Mapping vulnerability: disasters, development, and people. London: Earthscan Publications, 2004. p. 37-51.
CASTIEL, Luís David; CZERESNIA, Dina; FREITAS, Carlos Machado de. Dédalo e os Dédalos: identidade cultural, subjetividade e os riscos à saúde. In: CZERESNIA, Dina; FREITAS, Carlos Machado de. Promoção da saúde: conceitos, reflexões e tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. p. 79-95.
CRID - Centro Regional de Información sobre Desastres para América Latina y el Caribe. Catálogo de herramientas y recursos de información para el Fortalecimiento de Capacidades Locales de Respuesta. Centro Regional de Información sobre Desastres para América Latina. San José, CR: CRID, 2009.
CHARLOT, Bernard. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especificidades e desafios de uma área de saber. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 31 jan./abr. 2006.
DUBET, François. Repensar la justicia social: contra el mito de la desigualdade de oportunidades. Buenos Aires: Siglo Veinteiuno, 2014.
DUPUY, Jean-Pierre. Ainda há catástrofes naturais? Análise Social, Lisboa, v. 41, n. 181, p. 1181-1193, 2006. Disponível em: http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1218723769F0xBP0ve1Lf54HP1.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.
FERREIRA, Ricardo F.; CALVOSO, Genilda G.; GONZALES, Carlos B L. Caminhos da pesquisa e a contemporaneidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 243-250, 2002.
FRAGOSO JÚNIOR, Carlos Ruberto et al. Reflexões sobre a cheia de junho de 2010 nas Bacias do Rio Mundaú e Paraíba. Maceió: UFAL, 2010. Disponível em: http://www.ctec.ufal.br/professor/vap/Cheia2010.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.
GIL, Gilberto. Parabolicamará. Intérprete: Gilberto Gil. Gilberto Gil Unplugged. [S.l.]: Warner Music, p. 1994. 1 CD. Faixa 10.
LOPES, Daniela da Cunha et al. Gestão de riscos e de desastres: contribuições da psicologia. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. Florianópolis: CEPED/UFSC/Associação Cultural Cabeça ao Vento, 2010.
MANO, Maria A. M.; BARRETO, Danyella. Tragédias. In: GUSSO, Gustavo; LOPES, José Mauro Ceratti (org.). Tratado de medicina de família e comunidade: princípios, formação e prática. Porto Alegre: ArtMed, 2012. p. 459-468.
OMS - Organización Mundial de la Salud. Atención primaria de salud: informe de la conferencia internacional sobre atención primaria de salud. Ginebra: OMS, 1978. Disponível em: http://apps.who.int/medicinedocs/documents/s21370es/s21370es.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.
SILVA, Beatriz Pereira. Ciência e vida moderna na dialética musical de Gilberto Gil. Cadernos do CNLF, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, t. 1, p. 705-740, 2010.
TREVISAN, Amarildo Luiz. Catástrofe, trauma e resistência: experiência estética na formação de professores. Projeto de Pesquisa. Edital Universal – CNPq – Faixa B, 2013.
UNDP. Reducing disaster risk: a challenge for development, a global report. UNDP Bureau for Crisis Prevention and Recovery. New York: UNDP, 2004.
Publicado
2019-09-20
Como Citar
Mano, M. A. M., Ramos, N. V., & Trevisan, A. L. (2019). O momento da tragédia. Avaliação: Revista Da Avaliação Da Educação Superior, 24(2). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs3/index.php/avaliacao/article/view/3728
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##