A cobertura dos protestos de 2013 e o seu reflexo na política de mobilidade urbana da cidade de São Paulo

Palavras-chave: Manifestações, São Paulo, Macromídia, Mobilidade, CMTT

Resumo

Este artigo apresenta resultados de pesquisa realizada com o objetivo de gerar conhecimento científico sobre a qualidade das informações ofertadas pelos dois maiores veículos da cidade de São Paulo, Folha de S.Paulo e o Estado de S. Paulo em junho de 2013, quando o Brasil foi surpreendido por um grande número de manifestações de rua, totalizando 234 matérias no período de 7 a 21 de junho de 2013, ápice dos protestos. O estudo investigou, por meio da análise de conteúdo e revisão bibliográfica, de que forma a macromídia ou mídia convencional cobriu os protestos; além de apresentar como os dois principais jornais brasileiros online abordaram o tema e os atores envolvidos. Diante dos resultados, o estudo forneceu indicações de que apesar do cenário conflituoso, São Paulo soube aproveitar a oportunidade, pois a partir dele, o município criou um conselho para a área de transporte e trânsito na conjuntura dos Protestos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Keiko Poloni, UFABC

Mestranda em Políticas Públicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC), campus São Bernardo do Campos. Especialista em Direito Civil pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Especialista em Gestão Pública Municipal pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Graduada em Direito pela Universidade São Judas Tadeu (USJT). Advogada na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP)

Maria Teresa Miceli Kerbauy, UNESP

Doutora e mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pós-doutora em Ciência Política pelo Instituto de Iberoamérica (Espanha). Graduada em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara Docente da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara. Docente convidada do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp, em Bauru.

Referências

ALMEIDA, Thiago D’angelo Ribeiro. Midiativismo e coberturas jornalísticas: mídias livres, movimentos em rede e estratégias de contrapoder. 2015. 165f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

AVRITZER, Leonardo. Teoria democrática e deliberação pública. Lua Nova – Revista de Cultura Política, n. 50, p. 22-46, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-64452000000200003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 maio 2019.

BARBOSA, Gisele Heloise. O conselho municipal de transporte e trânsito de São Paulo (CMTT/SP): participação e mobilidade urbana. 2018. 237f. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018.

BARBOZA, Estefânia Maria de Queiroz; KOZICKI, Katya. Judicialização da política e controle judicial de políticas públicas. Revista Direito GV, São Paulo, v. 15, p. 59-85, jan./jun. 2012. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/revdireitogv/article/view/23970. Acesso em: 10 maio 2019.

BOURDIEU, Píerre. Sobre a televisão: seguido de "A influência do jornalismo" e "Os jogos olímpicos". Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

BRASIL. TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Relatório e parecer prévio sobre as contas do Governo da República. Brasília, 2010.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Controle judicial de políticas públicas: possibilidades e limites. 2009. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/45236948_Controle_judicial_de_politicas_publicas_possibilidades_e_limites. Acesso em: 7 fev. 2019.

BIRD, Elizabeth; DARDENNE, Robert. Mito, registro e ‘estórias’: explorando as qualidades narrativas das notícias. In: TRAQUINA, Nelson (org.). Jornalismo: questões, teorias e "estórias". Lisboa: Veja, 1999.

COHEN, Joshua. Deliberation and democratic legitimacy. In: BOHMAN, James; REHG, William (ed). Deliberative democracy. Cambridge: Mit Press, 1997.

DWORKIN, Ronald. Los derechos en serio. Barcelona: Ariel, 2002.

DELLA PORTA, Donatella; DIANI, Mario. Social movements: an introdution. 2. ed. Malden: Blackwell Publishing, 2006.

ENTMAN, Robert. M. Framing: toward clarification of a fractured paradigm. Journal of Communication, v. 43, n. 4, 1993. Disponível em: https://is.muni.cz/el/1423/podzim2018/POL256/um/Entman_1993_FramingTowardclarificationOfAFracturedParadigm.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

FORTUNATI, José. Entrevista ao poder e política. Portal UOL. Brasília, 18 dez. 2014. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimasnoticias/2014/12/18/2015-comeca-com-onibus-mais-caro-em-capitais-diz-frente-de-prefeitos.htm. Acesso em: 10 maio 2018.

FREDERICO, Celso. Da periferia ao centro: cultura e política em tempos pós-modernos. Estudos Avançados [online], v. 27, n. 79, p. 239-255, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40142013000300017&script=sci_abstract&tlng=es. Acesso em: 10 maio 2019.

GAMSON, William; WOLSFELD, Gadi. Movements and media as interacting systems. In: AMERICAN ACADEMY OF POLITICAL AND SOCIAL SCIENCE, 528., 1993, Newbury Park: Sage. Annals... p. 114-125.

GITLIN, Todd. The whole world is watching: mass media in the making and unmaking of the new left. Berkeley: University of California Press, 1980.

GOFFMAN, Erving. Frame analysis. Boston: Northeastern University Press, 1986.

GOHN, Maria da Glória. A sociedade brasileira em movimento: vozes das ruas e seus ecos políticos e sociais. Caderno CRH, v. 27, n. 71, p. 431-441, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-49792014000200013&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 maio 2019.

GOMIDE, Alexandre de Avila; GALINDO, Ernesto Pereira. A mobilidade urbana: uma agenda inconclusa ou o retorno daquilo que não foi. Estudos Avançados [online], v. 27, n. 79, p.27-39, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v27n79/v27n79a03.pdf. Acesso em: 7 fev. 2019.

GREGORI, Lucio. Entrevista concedida à Rede Brasil Atual. 2013. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2013/06/transporte-gratuito-seria-possivel-se-estado-tivesse-outro-olhar-7635/ Acesso em: 2 jul. 2019.

KNEIB, Erika Christine. Mobilidade urbana e qualidade de vida: do panorama geral ao caso de Goiânia. Revista UFG, n. 2, Ano XIII, jul. 2012. Disponível em: https://www.proec.ufg.br/up/694/o/12_09.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

KOVACH, Bill; ROSENSTIEL, Tom. Os elementos do jornalismo: o que os jornalistas devem saber e o público exigir. São Paulo: Geração Editorial, 2003.

KUNCZIK, Michael. Conceitos de jornalismo – Norte e sul. São Paulo: Edusp, 2001.

LIMA, P. P. F.; ALENCAR, J. L. O.; RIBEIRO, U. C.; CRUXÊN, I. A.; SOUZA, C. H. L. de. Conselhos nacionais: elementos constitutivos para sua insttucionalização. Texto para discussão / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasilia: Rio de Janeiro: IPEA, 2014.

LOCATTELLI, Piero. #VemPraRua: as revoltas de junho pelo jovem repórter que recebeu passe livre para contar a história. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

MAHER, Michael. Framing: an emerging paradigm or a phase of agenda setting? In: REESE, Stephen; GANDY, Oscar (Jr.); GRANT, August E. (Ed). Framing public life. Mahwah: Lawrence Erlbaum, 2001. p. 83-94.

MENEZES, Antonio Simões. Jornalismo de resistência: apropriação das estratégias discursivas do campo midiático pela Revista Sem Terra. 2010. 155f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise pragmática da narrativa jornalística. In: LAGO, Claudia; BENETTI, Marcia. Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2010.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Enquadramentos lúdico dramáticos no jornalismo: mapas culturais para organizar conflitos políticos. Intexto, Porto Alegre, v. 2, n. 17, p. 1-25, jul./dez. 2007. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/intexto/article/download/3461/4134. Acesso em: 27 set. 2017.

PORTO, Mauro. Enquadramentos da mídia e política. In: RUBIM, Antonio Albinos Canelas (Org.). Comunicação e política: conceitos e abordagens. Salvador: Edufba, 2004.

RAMONET, Ignácio. A explosão do jornalismo: das mídias à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

SÁDABA, Teresa. Framing: el encuadre de las noticias – el binomio terrorismo-medios. Buenos Aires: La Crujía, 2007.

SINGER, André. Brasil, junho de 2013: classes e ideologias cruzadas. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 97, p. 23-40, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002013000300003. Acesso em: 10 maio 2019.

TAKEMOTO, Walter. Tarifa, mobilidade e exclusão social. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014. (Coleção O Que Saber).

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis: Vozes, 1998.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: por que as notícias são como são. Florianopolis: Insular, 2014.

TUCHMAN, Gaye. Making news – a study in the construction of reality. New York: The Free Press, 1980.

VASCONCELLOS, Eduardo Alcantara de. Mobilidade urbana: O Que Você Precisa Saber, livro eletrônico. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

XAVIER, Roseanne. O jogo da democracia: impressões sobre os protestos recentes no Brasil. Estudos de sociologia [online], v. 2, n. 19, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revsocio/article/view/235578/2853. Acesso em: 10 maio 2019.

WOLTON, Dominique. Sobre la comunicación. Madrid: Acento Editorial, 1999.

Publicado
2019-08-06
Como Citar
SILVA, D.; POLONI, P.; KERBAUY, M. A cobertura dos protestos de 2013 e o seu reflexo na política de mobilidade urbana da cidade de São Paulo. REU - Revista de Estudos Universitários, v. 45, n. 1, p. 87-106, 6 ago. 2019.