Reflexões sobre a representação dos territórios marginalizados no cinema nacional: cultura popular e identidades

  • Thífani Postali Universidade de Sorocaba/Unicamp
  • Fabio Nauras Akhras Unicamp
Palavras-chave: Documentário nacional, Representação, Favela, Periferia, Hip hop

Resumo

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre a representação dos territórios marginalizados no cinema brasileiro, especialmente no gênero documentário, que tem como proposta asserções sobre realidades.  A partir da pesquisa bibliográfica, procuramos problematizar as representações sociais presentes no cinema nacional e apontar a necessidade de conteúdos que possam contribuir para produções que busquem retratar esses espaços de maneira menos taxativa e mais ética, voltadas para as realidades locais em seus vários aspectos. Assim, apresentamos o hip hop como um objeto cultural identitário que pode ser representado pelo cinema de modo que a produção audiovisual possa contribuir para a ressignificação desses espaços marginalizados, oferecendo subsídios para a valorização da cultura popular urbana. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thífani Postali, Universidade de Sorocaba/Unicamp
Doutoranda em Multimeios pela Unicamp. Mestre em Comunicação e Cultura pela Uniso.
Fabio Nauras Akhras, Unicamp

Fabio Nauras Akhras é doutor em Educação pela Universidade de Leeds (Inglaterra) e professor do Programa de Pós-Graduação em Multimeios do Instituto de Artes da Unicamp.

Referências

BENTES, Ivana. Sertões e favelas no cinema brasileiro contemporâneo: estética e cosmética da fome. Alceu, v.8, n.15 p. 242 a 255, jul./dez. 2007.
GRENN, Mitchell S. Você percebe com sua mente: conhecimento e percepção. In: DARBY, Derrick; SHELBY, Tommie. Hip Hop e a filosofia. São Paulo SP: Madras, 2006, p. 44-53.
HALL, Stuart. Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.
HALL, Stuart. Quem precisa da identidade?. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
HAMBURGER, Esther. Violência e pobreza no cinema brasileiro recente: Reflexões sobre a idéia de espetáculo. Novos Estudos, v. 78, p. 113 a 128, jul. 2007.
HERSCHMANN, Micael. O Funk e o hip-hop invadem a cena. Rio de Janeiro: UFRJ, 2000.
HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles; FRANCO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.
KELNNER, Douglas. A cultura de mídia. Bauru, SP: EDUSC, 1995.
LEAL, Sérgio José de Machado. Acorda hip hop: despertando um movimento em transformação. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2007.
MATTELART, Armand; NEVEU, Érik. Introdução aos estudos culturais. São Paulo: Parábola, 2004.
MICHAELIS. Disponível em: ; Acesso em 02 de maio de 2016.
NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas, SP: Papirus, 2005.
PRIBERAM. Disponível em:; Acesso em 02 de maio de 2016.
RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal... o que é mesmo documentário? São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2013.
SOUZA, Gustavo. Revendo as noções de periferia a partir do seu cinema. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, Florianópolis, v. 11, n. 98, p. 178-197, jan./jun. 2010.
UNIVERSAL ZUL NATION. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2016.
WACQUANT, Loïc. As duas faces do gueto. Tradução de Paulo Cezar Castanheira. São Paulo: Boitempo, 2008.
WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
Publicado
2017-06-20
Como Citar
Postali, T., & Akhras, F. (2017). Reflexões sobre a representação dos territórios marginalizados no cinema nacional: cultura popular e identidades. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 5(9), 222-237. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2017v5n9p222-237