PROPOSTA DE INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS

Autores

  • Emílio Rodrigues Junior
  • Fabricio Juliano Fernandes

Resumo

Com as tecnologias digitais e educacionais, a aplicação de conceitos, teorias e metodologias mais interativas e dinâmicas estão sendo utilizadas na Educação a Distância (EaD), mudando o foco do processo de ensinar/aprender. O presente texto tem o objetivo de analisar a evolução da educação a distância e a possibilidade de inclusão da modalidade semipresencial em cursos superiores de graduação já reconhecidos pelo Ministério da Educação. A implantação da semipresencialidade, devidamente regulamentada pela portaria 4.059, deve ser discutida em cada Instituição de Ensino, uma vez que as realidades são distintas e as necessidades de formação dos professores que irão atuar nessa modalidade não são as mesmas. O presente estudo surge na seqüência de diversas preocupações e tem como problema de pesquisa: é possível e viável a implantação de 20% da carga horária a distancia? Com as novas tecnologias, as Instituições podem adaptar os projetos pedagógicos dos cursos prevendo a inclusão da semipresencialidade em cursos já reconhecidos. Essa modalidade pode favorecer o desenvolvimento da aprendizagem autônoma nos estudantes. Evidentemente que o professor tem papel decisivo na efetivação do processo e precisará estar preparado para esta nova situação de aprendizagem, sob pena de criar resistências e comprometer o espírito do ensino presencial. Não se trata de uma facilidade e sim de um acompanhamento do professor nas execuções das atividades complementares de estudo. Isso posto, não se pode prescindir de investigar a realidade em que estes sujeitos estão inseridos, especialmente sua prática pedagógica, formação e experiências e a relação que mantêm dentro e fora da escola, uma vez que esses elementos poderão ser determinantes na medida em que os objetivos e expectativas pela incorporação das novas tecnologias podem vir a modificar a ação docente. As novas tecnologias podem ser aliadas e melhor utilizadas nas interações com os alunos, sendo útil o seu aprendizado. A inclusão do ensino semipresencial nos cursos de graduação, portanto, é validada e benéfica quando realizada de forma coerente, com anuência dos envolvidos e com fins pedagógicos e não econômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

RODRIGUES JUNIOR, E.; FERNANDES, F. J. PROPOSTA DE INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 1, 2014. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/avaliacao/article/view/1846. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos