DO ESTADO DA UNIVERSIDADE: METIDA NUM SARCÓFAGO OU NO LEITO DE PROCRUSTES?

Autores

  • Jorge Olímpio Bento

Resumo

Este ensaio chama a atenção para a grave doença que atingiu a Universidade nos nossos dias. O recurso à metáfora do ‘sarcófago’ e do ‘Leito de Procrustes’ visa: acentuar o facto de que a Universidade está a abandonar a sua missão tradicional e a sofrer transformações perigosas; expressar a esperança de que ela se liberte das forças que a constrangem e consiga ressuscitar numa forma nova. Com efeito, a Universidade está sendo capturada pela ideologia, pelo pensamento, pela terminologia e pelos interesses do neoliberalismo e do mercado. Consequentemente, ela perde autonomia e voz e deixa de ter identidade, linguagem e pensamento próprios. Em vez de ser uma instituição ao serviço da Humanidade, da sociedade, da cultura, da democracia e da liberdade, a Universidade torna-se um fator e instrumento de propagação das doutrinas e receitas dos potentados financeiros e ‘mercadológicos’. Tudo isto é bem visível no ‘reformismo’ e nas orientações da sua reorganização e governação, na oferta e no perfil dos seus cursos. Tal como o mercado, a Universidade já não oferece nada; só vende. Assim, a Universidade é cúmplice e corresponsável pela crise civilizacional, cultural, ética, moral e social que grassa no mundo. Em conclusão, a Universidade está a tornar-se uma instituição humana e socialmente irrelevante, sem capacidade
de irradiar influências exemplares e positivas. Para reverter a situação, os protagonistas da Universidade têm que a tirar do ‘sarcófago’ ou do ‘Leito de Procrustes’, no qual, por ação ou omissão, a deixaram aprisionar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

BENTO, Jorge Olímpio. DO ESTADO DA UNIVERSIDADE: METIDA NUM SARCÓFAGO OU NO LEITO DE PROCRUSTES?. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, 2014. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/avaliacao/article/view/2057. Acesso em: 14 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos