Rankings Universitários Internacionais

evidências de vieses geográficos e orçamentários para intuições brasileiras

Autores

Resumo

Este artigo analisa a classificação de instituições brasileiras de ensino superior em dois dos principais rankings internacionais de universidades: o QS World University Ranking e o The Times Higher Education (THE). Para isso, foram avaliadas as restrições metodológicas e como essas restrições afetaram a classificação das universidades do país nesses rankings. Entre 2016 e 2019, 38 brasileiras foram classificadas no QS e no THE, em sua versão global. Devido a restrições metodológicas, a classificação das instituições brasileiras assumiu a característica de patamares, variando de 3 a 5 patamares. Denota-se que a classificação de uma instituição em um patamar mais alto depende de sua proximidade com um mercado de trabalho dinâmico e um orçamento maior, indicando a dificuldade dos rankings de diferenciar de fato qualidade além dessas duas dimensões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-06

Como Citar

CABELLO, A. F.; IMBROISI, D.; FALQUETO, J. M. Z.; FERREIRA, G. V.; ARRUDA, J. A. de. Rankings Universitários Internacionais: evidências de vieses geográficos e orçamentários para intuições brasileiras. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, SP, v. 24, n. 3, 2019. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/avaliacao/article/view/3793. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)