Um estudo da mobilidade acadêmica internacional em cursos de graduação da Universidade Federal de São Carlos no âmbito dos programas AUGM, Bracol, Bramex e Acordos bilaterais de cooperação

Autores

  • Andréia Businaro Forim Universidade Federal de São Carlos
  • Camila Carneiro Dias Rigolin Universidade Federal de São Carlos

Palavras-chave:

internacionalização, ensino superior, mobilidade acadêmica internacional

Resumo

O processo de internacionalização do ensino superior avançou muito nos últimos anos e passou a ser
prioridade nas agendas institucionais, como forma de possibilitar o avanço científico/tecnológico,
determinante para que as Universidades apareçam no contexto internacional. As atividades associadas à
internacionalização vão muito além da mobilidade transfronteiriça de estudantes, pois engloba também o
desenvolvimento curricular, a cooperação internacional, o desenvolvimento de pessoal, entre outros
aspectos. Neste cenário, esta pesquisa teve o objetivo de avaliar a mobilidade acadêmica internacional em
cursos de graduação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), no âmbito dos programas Associação
de Universidades do Grupo de Montevidéu (AUGM), Programa de Mobilidade Acadêmica Brasil-Colômbia
(BRACOL), Programa de Mobilidade Acadêmica Brasil-México (BRAMEX) e acordos bilaterais de
cooperação, no período de 2016 a 2019. A presente pesquisa é descritiva e adotou a metodologia quantitativa
de survey ou levantamento. A coleta de dados foi feita através de pesquisa documental e aplicação de
questionário. A análise dos resultados foi feita por meio do Ranking Médio (RM) dos itens Likert dentro de
cada categoria. Dentre os resultados, pode-se inferir que apesar de a mobilidade acadêmica internacional na
UFSCar estar em expansão, é possível implementar ações de melhorias com o intuito de aumentar a
mobilidade de estudantes incoming e outgoing, a partir dos pontos de fragilidade detectados por meio do
questionário. O estudo também buscou oferecer subsídios para ações institucionais por meio dos indicadores
apresentados. A limitação e sugestões para estudos futuros são apresentados nas considerações finais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIGNER, Jean S. et al. Internationalizing the university. Making It Work. Springfiel: CBIS

Federal, 1992.

ALTBACH, Philip G. The new internationalism: Foreign students and scholars. Studies in

Higher Education, London, v. 14, n. 2, p. 125-136, 1989.

ASOCIACIÓN DE UNIVERSIDADES GRUPO MONTEVIDÉU (AUGM). Disponível em:

http://grupomontevideo.org/sitio/ - Acesso em 01 jul. 2020.

CHARLE, Christophe; VERGER, Jacques. História das universidades. São Paulo: Editora da

Universidade Estadual Paulista, 1996.

DAVYT, A.; VELHO, L. A avaliação da ciência e a revisão por pares: passado e presente. Como

será o futuro? História, Ciências, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 93-116,

DE WIT, Hans et al. An introduction to higher education internationalisation. Milan: Vita e

Pensiero, 2013.

DE WIT, Hans; HUNTER, Fiona. Understanding internationalisation of higher education in the

European context. Internationalisation of Higher Education, Westport, CT, p. 41-58, 2015.

FOLHA DE S.PAULO. Ranking Universitário Folha (RUF) 2019. Disponível em

https://ruf.folha.uol.com.br/2019/ranking-de-universidades/principal/. Acesso em: 01 jul. 2020.

FRANÇA, Thais; PADILLA, Beatriz. Cooperação Sul-Sul, uma via alternativa? Um caso

exploratório entre Brasil e Argentina. In: FORUM Sociológico, Série II. CESNOVA, 2015. p.

-71.

Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 27, n. 02, p. 281-304, jul. 2022 303

GAO, Y. Toward a Set of Internationally Applicable Indicators for Measuring University

Internationalization Performance. Journal of Studies in International Education, Califórrnia,

v. 19, n. 2, p. 182-200, 2015.

GCUB - Grupo de Cooperação Internacional de Universidades Brasileiras. Disponível em:

https://www.gcub.org.br/. Acesso em: 19 maio 2022.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

KNIGHT, Jane. Higher education crossing borders: a guide to the implications of the general

agreement on trade in services (GATS) for cross-border education. Commonwealth of Learning.

Vancouver, 2006.

KNIGHT, Jane. Internationalization remodeled: Definition, approaches, and rationales. Journal

of studies in international education. Califórnia, v. 8, n. 1, p. 5-31, 2004.

KNIGHT, Jane. Student mobility and internationalization: trends and tribulations. Research in

Comparative and International Education. Journal of studies in international education.

Califórnia, v. 7, n.10, p. 20-33, 2012.

LAUS, Sonia Pereira; MOROSINI, Marilia Costa. Internacionalización de la educación superior

en Brasil. In: DE WIT, H. et al. Educación superior en América Latina. La dimensión

internacional. Tradução ao castelhano de Jesús Villamizar Herrera. Bogotá: Banco Mundial em

coedición con Mayol Ediciones, 2005. p. 113-151.

LEAL, Fernanda Geremias; STALLIVIERI, Luciane; MORAES, Mário César Barreto.

Indicadores de internacionalização: o que os Rankings Acadêmicos medem? Revista

Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 4, n.1, p. 52-73, 2018.

LIMA, Manolita Correia; CONTEL, Fábio Betioli. Períodos e motivações da internacionalização

da educação superior brasileira. In: COLÓQUIO DA IFBAE, 5., 2009, Genebra. Disponível em:

http://www.ifbae.com/pdf/congresso/2009_B0095.pdf. Acesso em: 05 fev. 2020.

MARINGE, Felix; FOSKETT, Nick (ed.). Globalization and internationalization in higher

education: theoretical, strategic and management perspectives. London: A&C Black, 2012.

MUELLER Cristiana Verônica. O processo de internacionalização do ensino superior: um

estudo de caso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2013. Dissertação (Mestrado em

Relações Internacionais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A

CULTURA (UNESCO). Disponível em http://uis.unesco.org/en/uis-student-flow . Acesso em:

mar. 2020.

OTERO, Manuel Souto. The socio-economic background of Erasmus students: a trend towards

wider inclusion? International review of education, Local, v. 54, n. 2, p. 135-154, 2008.

Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 27, n. 02, p. 281-304, jul. 2022 304

RUDZKI, Romuald Edward John. The strategic management of internationalization: towards

a model of theory and practice. 1998. Tese (Doutorado) - Newcastle University, Reino Unido,

STALLIVIERI, Luciane. Compreendendo a internacionalização da educação superior. Revista

de Educação do COGEIME, São Paulo, v. 26, n.50, p. 15-36, 2017.

STALLIVIERI, Luciane. O processo de internacionalização nas instituições de ensino superior.

Educação Brasileira: Revista do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras,

Brasília, v. 24, n. 48, p. 35-57, 2002.

TEICHLER, Ulrich. Internationalisation of higher education: European experiences. Asia Pacific

education review, Local, v. 10, n. 1, p. 93-106, 2009.

TIMES HIGHER EDUCATION (THE). Latin America University Rankings 2020. Disponível

em: https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2020/latin-americauniversity-rankings#!/page/0/length/25/sort_by/rank/sort_order/asc/cols/undefined. Acesso em:

jul. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCar). Página da Secretaria Geral de

Relações Internacionais (SRINTER). Disponível em: https://www.srinter.ufscar.br/pt-br/paginainicial. Acesso em: 01 jul. de 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS. Relatório anual de atividades 2018. São

Carlos, 2018.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

FORIM, A. B.; RIGOLIN, C. C. D. Um estudo da mobilidade acadêmica internacional em cursos de graduação da Universidade Federal de São Carlos no âmbito dos programas AUGM, Bracol, Bramex e Acordos bilaterais de cooperação. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, SP, v. 27, n. 2, p. 281–304, 2022. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/avaliacao/article/view/5090. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos