O espelho e o vidro

Seleção de tempos da vida cotidiana em “O Aleph”, de J.L. Borges, e no Jornal Nacional

Autores

  • Maurício Guilherme Silva Júnior Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH)

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2017v5n9p82-95

Resumo

O presente artigo busca analisar, comparativamente, o processo de construção do que aqui será chamado de “instantes imagéticos” em dois territórios narrativos aparentemente antípodas: a descrição ficcional do “ponto que concentra todos os pontos”, no conto “O Aleph”, do escritor argentino Jorge Luis Borges, e a construção editorial de reportagens diárias no Jornal Nacional (JN). Trata-se do primeiro movimento conceitual em torno de problematização a ser ampliada em outros tantos artigos, nos quais se pretende desenvolver investigações empíricas – sempre de modo comparado ao referido texto literário de Borges – acerca de coberturas jornalísticas específicas do JN e de telejornais de outras emissoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Guilherme Silva Júnior, Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH)

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Pós-doutor em Comunicação Social, também pela UFMG. 

Publicado

2017-06-20

Como Citar

Silva Júnior, M. G. (2017). O espelho e o vidro: Seleção de tempos da vida cotidiana em “O Aleph”, de J.L. Borges, e no Jornal Nacional. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 5(9). https://doi.org/10.22484/2318-5694.2017v5n9p82-95