Diversidade de corpos na publicidade

o contexto interpretativo nas campanhas Skolors e Reposter da Skol no Facebook

  • Tarcizio Silva
  • Elizabeth Moraes Gonçalves
Palavras-chave: análise do discurso, dialogismo, mídias sociais, Skol, facebook

Resumo

Historicamente, a publicidade de cerveja tem explorado de forma estereotipada o corpo feminino e ignorando etnias, cores e formas fora do padrão hegemônico. Porém, está em curso um movimento de buscar uma ressignificação dos corpos como estratégias publicitárias. O artigo explora o uso de comentários na plataforma Facebook como insumos para investigação de contexto interpretativo previsto e reapropriado por enunciadores corporativos pautados pelo dialogismo pressuposto nas mídias sociais. Como estudo de caso, cruzamos o debate discursivo quanto à representação dos corpos na publicidade através da tentativa de reposicionamento do imaginário em torno das campanhas da Skol: Reposter e Skolors. A partir da extração de dados (37 mil comentários e 17 mil respostas, assim como suas métricas) em postagens de campanha na página oficial da marca, o texto se debruça sobre os comentários de maior repercussão e as decorrentes respostas para discorrer sobre as táticas discursivas da empresa. O estudo também sublinha como o ambiente on line propicia elementos para ser explorado tanto comercialmente quanto nas pesquisas acadêmicas no âmbito da Comunicação, trazendo insumos contextuais para a interpretação de sinais explícitos de recepção do público.

Biografia do Autor

Elizabeth Moraes Gonçalves

Doutora em Comunicação pela UMESP. Docente do programa de pós-graduação em Comunicação da UMESP. Linha de pesquisa Comunicação Institucional e mercadológica. Líder do grupo de pesquisa COLING – Estudos de Comunicação e Linguagem. Editora executiva da revista Comunicação & Sociedade.

Referências

ALBUQUERQUE, Fábio Manoel Fernandes; DE FARIA PEREIRA, Rita de Cássia; BELLINI, Carlo Gabriel Porto. Do repertório de comportamentos do consumidor: retaliação e vingança no ciberespaço. Revista de Administração, v. 46, n. 2, p. 135-149, 2011.
CHARAUDEAU, Patrick; MAINGUENEAU, Dominique. Dicionário de Análise do Discurso. São Paulo : contexto, 2004.
DOURADO, Danila; BRAZOLI, André; ROCHA, Teresa. A presença dos negros nas agências de publicidade. Online, 2015. Disponível em https://pt.slideshare.net/daniladourado/a-presena-dos-negros-nas-agncias-de-publicidade
ELLISON, Nicole; BOYD, Danah. Sociality through Social Network Sites. In: DUTTON, William. The Oxford Handbook of Internet Studies. Oxford: Oxford University Press, 2013.
FRAGOSO, Suely. Eu odeio quem odeia… considerações sobre o comportamento dos usuários brasileiros na tomada do Orkut. Anais do Encontro Intercom, 2006.
FRANÇA, Greicy Mara et al. A Contribuição de Eliseo Verón para a Publicidade: O Contrato de Leitura. Anais do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciência da Comunicação. Rio de Janeiro, RJ – 4 a 7/9/2015.
GONÇALVES, Elizabeth Moraes; DA SILVA, Marcelo. A amplitude do diálogo nas redes sociais digitais: sentidos em construção. In: GOULART, Elias (org.). Mídias Sociais: uma contribuição de análise. Porto Alegre: ediPUCRS, 2014.
GONÇALVES, Elizabeth Moraes; SOUZA, Vanda. Discursos organizacionais: as relações de consumo no ambiente das redes sociais digitais. Revista Organicom, v. 12, p. 118-129, 2015.
GONÇALVES, Elizabeth Moraes. Publicidade e Cartas do leitor: Entre o público almejado e o público manifesto. LÍBERO. ISSN impresso: 1517-3283/ISSN online: 2525-3166, n. 25, p. 99-110, 2016.
GILL, Rosalind. Análise de discurso. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, p. 244-270, 2012.
HOFF, Tânia. Comunicação Publicitária: dos regimes de visibilidade do corpo diferente às biosssociabilidades do consumo. In: HOFF, Tânia (org). Corpos Discursivos: dos regimes de visibilidade às biossociabilidades do consumo. Recife: Editora UFPE, 2016.
JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Spreadable media: Creating value and meaning in a networked culture. Nova Iorque: NYU Press, 2013.
MAINGUENEAU, Dominique. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
MARTINS, Carlos Augusto de Miranda. Racismo anunciado: o negro e a publicidade no Brasil (1985-2005). 2009. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.
MARTINS, Carlos Augusto de Miranda. A publicidade e o registro branco do Brasil. In: BATISTA, Leandro Leonardo; LEITE, Fracisco. O Negro nos Espaços Publicitários Brasileiros: Perspectivas Contemporâneas em Diálogo. pp.47-59, 2011.
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Promotoria de Direitos Humanos questiona representatividade dos negros na publicidade. Disponível em http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/noticias/noticia?id_noticia=16722302&id_grupo=118. Acesso em 20 agosto de 2017.
NASCIMENTO, Leonardo Fernandes. A Sociologia Digital: um desafio para o século XXI. Sociologias, v. 18, n. 41, 2016.
OLIVEIRA, Dennis. Etnomídia: a construção de uma pai-sagem étnica na linguagem midiática. In: BATISTA, Leandro Leonardo; LEITE, Fracisco. O Negro nos Espaços Publicitários Brasileiros: Perspectivas Contemporâneas em Diálogo. pp. 25-40, 2011.
OLIVEIRA, Heloisa Helena de Sousa Franco. A construção das relações de gênero na publicidade da cerveja Skol: uma análise sobre consumo, cultura e criatividade. 2015.
RIEDER, Bernhard. Studying Facebook via data extraction: the Netvizz application. In: Proceedings of the 5th annual ACM web science conference. ACM, 2013. p. 346-355.
SILVA, Reijane Pinheiro. A publicidade entre copos e corpos: identidade feminina e o cômico-erótico na publicidade nacional. Ilha Revista de Antropologia, v. 10, n. 2, p. 175-192, 2008.
VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um Tecido. São Leopoldo – RS : Editora UNISINOS, 2005.
ZAMBONI, Júlia Simões. Para que serve a mulher do anúncio?: um estudo sobre representações de gênero nas imagens publicitárias. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade de Brasília, 2013.
Publicado
2017-12-08