Roland Barthes contra Roland Barthes

O signo, da semiologia à semioclastia

  • Luis Felipe Abreu UFRGS
  • Alexandre Rocha da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Roland Barthes, Semiologia, Semioclastia, Signo, Teoria da comunicação

Resumo

O presente trabalho propõe uma retomada do pensamento de Roland Barthes sobre o signo, com o objetivo de demonstrar sua atualidade e pertinência para o pensamento semiótico e comunicacional. Para isso, parte-se a uma revisão crítica de seus ensaios semióticos, na constituição de um percurso teórico que vai de seu conceito de semiologia a Teoria do Texto, destacando aí os pontos de ruptura e as inversões metodológicas de sua obra. A partir daí e por fim propõe-se o estudo da ideia de semioclastia, enquanto ferramenta semiótica e política, capaz de oferecer uma visão outra aos objetos de pesquisa do contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTHES, Roland. A aventura semiológica. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BARTHES, Roland. A câmara clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 2013a.

BARTHES, Roland. Crítica e verdade. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BARTHES, Roland. Elementos de semiologia. São Paulo: Cultrix, 2006.

BARTHES, Roland. Inéditos, v. I: Teoria. São Paulo: Martins Fontes, 2004a.

BARTHES, Roland. Mitologias. Rio de Janeiro: DIFEL, 2013b.

BARTHES, Roland. O grão da voz: entrevistas, 1961-1980. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

BARTHES, Roland. O grau zero da escrita. São Paulo: Martins Fontes, 2004c.

BARTHES, Roland. O óbvio e o obtuso: ensaios críticos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004d.

BARTHES, Roland. Roland Barthes por Roland Barthes. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

BARTHES, Roland. S/Z. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

BOCCA, Francisco Verardi. Roland Barthes: um semiólogo nômade. Revista de Filosofia, Curitiba, v.15, n.17, p.11-27, jul./dez. 2003. Disponível em: <http://www2.pucpr.br/reol/pb/ index.php/rf?dd1=112&dd99=view&dd98=pb>. Acesso em 30 nov. 2017.

CALVET, Jean-Louis. Roland Barthes: um olhar político sobre o signo. Lisboa: Vega, s/d.

Tríade, Sorocaba, SP, v. 6, n. 12, p. 106-121, set. 2018

Luis Felipe Silveira de Abreu Alexandre Rocha da Silva

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 1973.

DOSSE, François. História do estruturalismo, v. I: o campo de signo – 1945/1966. São Paulo: Edusc, 2007.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 1974.

MOTTA, Leda Tenório da. Roland Barthes: uma biografia intelectual. São Paulo: Iluminuras/ Fapesp. 2011.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Com Roland Barthes. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Roland Barthes. São Paulo: Brasiliense, 1983.

ROBBE-GRILLET, Alain. Por que amo Barthes. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1995.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

SILVA, Marcio Renato Pinheiro da. Lição crítica: Roland Barthes e a semiologia do impasse. Alea, Rio de Janeiro, v.7, n.1, p.65-78, jun. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S1517-106X2005000100005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 30 nov. 2017.

SONTAG, Susan. Sob o signo de saturno. Porto Alegre: L&PM, 1986.

Publicado
2018-09-05
Como Citar
Abreu, L. F., & da Silva, A. (2018). Roland Barthes contra Roland Barthes. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 6(12), 106-121. Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/article/view/3192
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas