Novos atores em cena

Primeiras análises sobre o Intercept Brasil

Palavras-chave: Intercept Brasil, Linha editorial, Grande Imprensa

Resumo

No presente artigo, realizo investigação acerca da linha editorial do Intercept Brasil, versão brasileira do site de notícias norte-americano, criada em 2016. Por meio da combinação de análises de viés quantitativo e qualitativo e entrevistas semiestruturadas com jornalistas da empresa (PEREIRA, 2012), busco realizar interpretação sobre a identidade do veículo. Apesar do curto tempo de existência, o cibermeio jornalístico apresenta expressivas características próprias – como a relativização das noções tradicionais do jornalismo político (MIGUEL, 2002) – compreendidas pela análise dos assuntos que foram noticiados e das conversações com os integrantes do Intercept. Tentamos começar a entender o espaço do site no atual cenário da imprensa nacional, em especial com relação à chamada “grande imprensa”

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Bomfim, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Professor adjunto do Departamento de Jornalismo e do Mestrado em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Realizou pós-doutorado em Ciências da Comunicação na Unisinos e em Processos Jornalísticos na UEPG. Possui mestrado e doutorado em Comunicação e Informação pela UFRGS, graduação em História pela UFMG e em  Comunicação Social/Jornalismo pelo UNIBH.

 

Referências

ABRAMO, P. Padrões de manipulação na grande imprensa. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2016.

BAUER, M. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, M.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

BIROLI, F.; MIGUEL, L. F. Notícias em disputa: mídia, democracia e formação de preferências no Brasil. São Paulo: Contexto, 2017.

CERI, E.; MASSUCHIN, M.. Metodologia quantitativa em pesquisas sobre cobertura jornalística: análise da eleição municipal de 2012 na Folha de S. Paulo. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, vol. 20, núm. 3, septiembre-diciembre, 2013, pp. 840-865, PUCRS, Porto Alegre.

DEMORI, L. Entrevista concedida ao autor (telefone) em 10 de abril de 2018.

GUERREIRO NETO, G. O discurso de legitimação no jornalismo. Dissertação de Mestrado [Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina], 2013.

HERSCOVITZ, H. Análise de conteúdo em jornalismo. In: LAGO, C.; BENETTI, M. Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2008.

LEAL, B.; ANTUNES, E. O acontecimento como conteúdo: limites e implicações de uma metodologia. In: LEAL, B. et al (org.). Jornalismo e Acontecimento: percursos metodológicos. Florianópolis: Insular, 2011.

MARCONDES FILHO, C. Ser jornalista: o desafio das tecnologias e o fim das ilusões. São Paulo: Paulus, 2009.

MARQUES, G. Entrevista concedida ao autor (email) em 7 de novembro de 2017.

MELO, J.M. Teoria do Jornalismo: identidades brasileiras. São Paulo: Paulus, 2006.

MORIN, E. A entrevista nas Ciências Sociais, na rádio e na televisão. In: MOLES, Abraham et alii. Linguagem da cultura de massa. Petrópolis: Vozes, 1973.

NEVEU, É. Sociologia do jornalismo. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

PORTAL IMPRENSA. “Forbes” elege a família Marinho, proprietária da Rede Globo, como a mais rica do Brasil <http://www.portalimprensa.com.br/noticias/brasil/65755/forbes+elege+a+familia+marinho+proprietaria+da+rede+globo+como+a+mais+rica+do+brasil>, acesso em 14/07/2017.

ROSA, M.; ARNOLDI, M. A entrevista na pesquisa qualitativa: mecanismos para validação dos resultados. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2008.

TRAQUINA, N. Teorias do Jornalismo. Volume II: A tribo jornalística – uma comunidade interpretativa transnacional. Florianópolis, Insular/Posjor-UFSC, 2005.

VENANCIO, R. Jornalismo e linha editorial: construção das notícias na imprensa partidária e comercial. Rio de Janeiro: E-papers, 2009.

Publicado
2019-08-10
Como Citar
Bomfim, I. (2019). Novos atores em cena. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(15), 9-27. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n15p9-27
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas