A cidade além da fronteira

escapatórias no | do cinema argentino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n14p95-119

Resumo

O presente estudo propõe reflexões a respeito do imaginário fronteiriço, fundado na análise de cotidianidades que podem promover as interdições, típicas de quadriculamentos opressores, ou as integrações, constitutivas das fronteiras culturais. Para tanto, tomamos como corpus os filmes argentinos Pizza, birra, faso (Adrián Caetano, Bruno Stagnaro; 1998) e Leonera (Pablo Trapero, 2008), obras que enquadram personagens submetidas às interdições de uma experiência urbana ‘à margem de...’. Para a superação das fronteiras, figurativizadas em barreiras as mais diversas, as personagens criam escapatórias libertadoras, ampliadas e potencializadas por meio das estratégias cinematográficas. Busca-se, assim, superar um mundo dividido por ‘lados’ constituindo brechas que viabilizam transposições de fronteiras culturais, ordenadas pelas possibilidades de “ir além”. Preservam-se, consequentemente, os afetos e as experiências do habitar em apropriações estésicas essenciais aos mundos que transcendem as barras – concretas ou nem tanto – da opressão e da discriminação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Fischer, Universidade Tuiuti do Paraná

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo – USP, Pós-doutora em Cinema pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professora à Universidade Tuiuti do Paraná – UTP.

 

Aline Vaz, Universidade Tuiuti do Paraná

Doutoranda em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná – UTP. Bolsista Capes/Prosup.

 

Publicado

2019-04-22

Como Citar

Fischer, S., & Vaz, A. (2019). A cidade além da fronteira: escapatórias no | do cinema argentino. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(14). https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n14p95-119