O rap na cidade:

O “Quinto Elemento” e as Rodas de Rima do RJ

Palavras-chave: Hip hop, Rodas de Rima, Cidade, Rio de Janeiro, Quinto elemento

Resumo

O propósito do artigo é mobilizar o conceito de “quinto elemento” da cultura Hip Hop, entendido como arma em potencial contra confinamentos cognitivos e relevante gatilho estético de resistência no ambiente urbano, para investigar a intervenção das Rodas de Rap do Circuito Carioca de Ritmo e Poesia (CCRP) na cidade do Rio de Janeiro. O artigo atesta a dimensão comunitária do rap nas Rodas, definindo-a como resultado da “criatividade social” das "neotribos" que giram no entorno do Hip Hop carioca. Inspirado pela noção de “quinto elemento”, o rap é se apresenta como uma linguagem capaz de produzir um élan comunitário na vida da cidade, a partir de sua música. Assim como em sua origem em NY, quando jovens do sul do Bronx redefiniram suas identidades culturais num espaço urbano violento e empobrecido, o rap, através das Rodas no Rio de Janeiro, segue emergindo com energia e vitalidade para intervir na dinâmica da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Gutierrez Mendes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Cientista Político, Mestre pelo IUPERJ (atual IESP) e Doutorando no PPGCOM/UERJ.  Pesquisador do CAC/UERJ e das Faculdades Integradas Helio Alonso (FACHA).
Gabriel Chavarry Neiva, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Professor e Pesquisador do Departamento de Comunicação da PUC RIO. Graduado em  História na UFF. Mestre em Sociologia e Antropologia (PPGSA) na UFRJ e Doutor em  Comunicação no PPGCOM UERJ.

Referências

BORGES, Raphael; ALMEIDA, Ivy. Estação Periferia: Racionais MC’s. Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=0Hf9IUsdMbo>. Acesso em: 10 mar 2015.

DUNCOMBE, S. Introduction. In: Cultural Resistance Reader. Londres: Verso, 2002.

FERNANDES, C.S.; HERSCHMANN, M. Cidades Musicais: comunicação, territorialidade e política. Porto Alegre: Sulina. 2018.

FERNANDES, C.S. Sociabilidade, Comunicação e Política: A experiência estético-comunicativa da Rede MIAC na cidade de Salvador. Rio de Janeiro: E Papers, 2009.

FORMAN, Murray. Represent: Race, Space and Place in Rap Music. In: FORMAN, Murray. (org). That´s the joint: The Hip Hop Studies Reader. Nova Iorque: Routledge: 2004.

FREITAS, R.F. & LINS, F. & SANTOS, M.H. Megaeventos: motores de transformações sociais. In: XXIII Encontro Anual da Compós, 2014. Anais dos Encontros da Compós. Belém: E-compós, 2014.

GILROY, P. O Atlântico negro. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

GONÇALVES, R. A. A cultura urbana periférica–silenciamentos e táticas. Revista SOLETRAS, n. 36, 2018.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

HERSCHMANN, M.; C.S. FERNANDES, Cíntia Sanmartin. Territorialidades sônicas e re-significação de espaços do Rio de Janeiro. Logos, v. 18, n. 2, 2011.

HERSCHMANN, M.; C.S. FERNANDES, Cíntia Sanmartin. Comunicação, Música e Territorialidades: repensando a relevância das Cidades Musicais do Rio de Janeiro. Logos, v. 23, n. 2, 2016.

KELLNER, D. A cultura da mídia: estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. São Carlos: Edusc, 2001.

KISCHINHEVSKY, M. A música como forma de conhecimento social. Entrevista: Micael Herschmann. Revista Eptic, v. 14, n. 2, 2012.

MACEDO, I. A linguagem musical do Rap: expressão local de um fenômeno mundial. Tempos Históricos, v.15, 2011.

MAFFESOLI, Michel. A contemplação do mundo. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1995.

RACIONAIS MC’S. Introdução. São Paulo. Zimbabwe. 1993.

REIS, J. A lei no bolso: música de rua e luta pelas espçaos públicos no Rio de Janeiro. In: FERNANDES, C.S.; HERSCHMANN, M. Cidades Musicais: comunicação, territorialidade e política. Porto Alegre: Sulina. 2018.

ROCHE, M. Mega events and modernity: olympics and the growth of global culture. Londres: Routledge, 2000.

ROSE, Tricia. Black noise: Rap music and black culture in contemporary America. Nova Iorque: Wesleyan, 1994.

ROSE, Tricia. Um estilo que ninguém segura: Política, estilo e a cidade pós-industrial no hip hop. In: HERSCHMANN, M. (org). Abalando os anos 90: Funk e hip hop, globalização, violência e estilo cultural. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

SANCHEZ, F. A reinvenção das cidades para um mercado mundial. Chapecó: Editora Argos, 2010.

TAKEUTI, N.M. Refazendo a margem pela arte e política. Nómadas 32, 2010.

TROTTA, F. Música e conflito na cidade: práticas de escuta, espaço público e violência no Rio. In FERNANDES, C.S.; HERSCHMANN, M. Cidades Musicais: comunicação, territorialidade e política. Porto Alegre: Sulina. 2018.

VAINER, Carlos. Cidade de exceção: reflexões a partir do Rio de Janeiro, In: XIV Encontro Nacional da Anpur. Rio de Janeiro: Anpur, 2010.

Publicado
2019-04-23
Como Citar
Mendes, G., & Neiva, G. (2019). O rap na cidade:. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(14), 199-219. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n14p199-219