Novas construções de sentido em duas metáforas fotográficas

Palavras-chave: Metáfora visual, Fotolivro, Miguel Rio Branco, Fotografia

Resumo

Buscamos compreender neste artigo os efeitos de sentido construídos em duas metáforas visuais presentes em dois foto livros do artista Miguel Rio Branco. A primeira obra se apresenta como uma associação de duas imagens (um díptico), enquanto a segunda obra a ser analisada é uma imagem única. O referencial teórico utilizado busca auxiliar a investigação dessas duas obras enquanto metáforas visuais e é composto pelos estudos semióticos, a pesquisa sobre retórica visual do Groupe µ (1994) e pelas considerações do filósofo da arte Richard Wollheim (2002) sobre a metáfora pictórica. Desse modo, percorremos um caminho no qual as duas obras analisadas indicam dois modos diversos de produção de metáforas visuais e exploramos os efeitos de sentido construídos em cada uma delas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Bracchi, UFPE

Pesquisa narrativas fotográficas, especialmente os fotolivros brasileiros e pernambucanos, no laboratório de fotografia do agreste da Universidade Federal de Pernambuco. É mestre em semiótica pela PUC-SP, onde estudou fotografia de moda, e doutora em semiótica pela USP com sua pesquisa sobre a fotografia contemporânea brasileira. É professora adjunta da UFPE-CAA e coordena o fotolab: www.fotolabufpe.com

Referências

ARASSE, D. Le Détail: pour une histoire rapprochée de la peinture. Paris: Flammarion, 1996.

BARTHES, R. A Câmara Clara: nota sobre a fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984 (original francês de 1980).

BRøNDAL, V. Omnis et totus. In: Actes sémiotiques. Documents. Paris: Groupe de Recherches Sémio-Linguistiques. EHESS, CNRS, VIII, 72; 1986.

ECO, U. História da feiúra. Rio de Janeiro: Record, 2007.

EISENSTEIN, S. A forma do filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

FONTANILLE, J. Sémiotique du discours. Limoges: Presses Universitaire de Limoges, 1998.

GREIMAS, A. J; COURTÉS, J. Sémiotique. Dictionnaire raisonné de la théorie du langage. Tomo 2. Paris: Hachette, 1986.

GREIMAS, A. J; COURTÉS, J. Dicionário de Semiótica. São Paulo: Contexto, 2008 (original francês de 1979).

GROUPE µ. Tratado del signo visual. Madrid: Ediciones Cátedra, 1994.

HJELMSLEV. L. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1975.

KRAUSS, R. O Fotográfico. Trad. de Anne Marie Davee. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2002.

LOPES, E. Metáfora: da retórica à semiótica. 2ª ed. São Paulo: Atual, 1987.

WOLLHEIM, R. A pintura como arte. Trad. de Vera Pereira. São Paulo: Cosac Naify, 2002 (original inglês de 1987).

ZILBERBERG, C. “As condições semióticas da mestiçagem”. In: CAÑIZAL, E. P. & CAETANO, K. E. (Orgs.) O olhar à deriva: mídia, significação e cultura. São Paulo: Annablume, 2004.

ZILBERBERG, C. Razão e poética do sentido. São Paulo: EDUSP, 2006.

Publicado
2019-08-10
Como Citar
Bracchi, D. (2019). Novas construções de sentido em duas metáforas fotográficas. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(15), 83-92. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n15p83-92
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas