A narrativa irlandesa no Eurovision Song Contest 2018

nation branding e as dimensões contemporâneas da Irlanda

Palavras-chave: Irlanda, Eurovision 2018, Irlandesidade, Nation-branding, Ryan O'Shaughnessy

Resumo

O Eurovision Song Contest é um concurso musical realizado desde 1956, quando teve o intuito de fortalecer os vínculos entre as nações europeias após a II Guerra Mundial. Atualmente, cerca de quarenta países enviam canções ao certame, que é realizado em três noites – duas semifinais e uma final. A Irlanda ainda guarda o recorde de sete vitórias, porém, nos últimos anos, os concorrentes irlandeses não conquistaram bons resultados. Em 2018, depois de quatro edições, o país retorna à final com Ryan O'Shaughnessy, que interpretou Together e explorou a temática LGBT em palco. Essa empreitada pode estar ligada a uma estratégia de nation branding, um processo que edita e exibe a identidade nacional em forma de mídia. O intuito é atrair turistas e apresenta o país como um parceiro econômico interessante. O objetivo do presente trabalho é investigar aspectos relacionados à participação da Irlanda no Eurovision 2018, através de uma análise de conteúdo, observando eventos que precederam e sucederam a apresentação no festival e os possíveis interesses no uso da temática LGBT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sanio Santos da Silva, Universidade Federal da Bahia

Mestrando em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia e graduado em Psicologia pela Universidade Salvador - UNIFACS. Atualmente é membro do grupo de pesquisa Cityscapes in Contemporary Irish Literatures and Films: Local Histories, Global Conflicts.

Monique Pfau, Universidade Federal da Bahia

Professora e pesquisadora do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, graduada em História e Letras Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina. Possui doutorado em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina e em Estudos da Linguagem em cotutela com a Vrije Universiteit Brussel.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BARTLEY, Leanne; BENITEZ-CASTRO, Miguel-Angel. Evaluation and Attitude towards Homosexuality in the Irish Context: A Corpus-assisted Discourse Analysis of APPRAISAL Patterns in 2008 Newspaper Articles. Irish Journal of Applied Social Studies, v. 16, n. 1, p. 1-20, 2016. Disponível em: https://arrow.dit.ie/ijass/vol16/iss1/1/. Acesso em: 02 jun. 2018.

COULTER, Colin; COLEMAN, Steve. The End of Irish History? Critical Reflections on the Celtic Tiger. Manchester: Manchester University Press, 2003.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

DINNIE, Keith. Nation branding: concepts, issues, practice. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2008.

FREYNE, Patrick. Eurovision honour restored, Ireland sits back and enjoys an irrelevant semi-final. The Irish Times, 10 mai. 2018. Disponível em: https://www.irishtimes.com/culture/tv-radio-web/eurovision-honour-restored-ireland-sits-back-and-enjoys-an-irrelevant-semi-final-1.3491184.

GIANNOTTI, Regina Helena. Marca-Território Brasil: Uma construção discursiva e um vetor de poder. In: CONGRESO LATINOAMERICANO DE INVESTIGADORES DE LA COMUNICACIÓN, 12., 2014, Lima, Peru. Anais […]. Lima, Peru: Pontificia Universidad Católica del Perú, 2014. Disponível em: http://congreso.pucp.edu.pe/alaic2014/wp-content/uploads/2014/11/GT1-Regina-Helena-Giannotti.pdf. Acesso em: 21 ago. 2018.

GLYNN, Brian. Roger Casement: De Diplomata Britânico a Revolucionário Irlandês. São Paulo: Humanitas, 2016.

HOBSBAWM, Eric. Nações e Nacionalismo. São Paulo: Paz e Terra, 1990.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2009.

JORDAN, Paul. The Eurovision song contest: Nation branding and nation building in Estonia and Ukraine. 2011. 264 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – College of Arts, University of Glasgow, Glasgow, 2011. Disponível em: http://theses.gla.ac.uk/2972/1/2011jordanphd.pdf.

MAGUIRE, Moira. The Changing Face of Catholic Ireland: Conservatism and Liberalism in the Ann Lovett and Kerry Babies Scandals. Feminist Studies, New York, v. 21, n. 2, 2001. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/3178762?seq=1.

OHLMEYER, Jane. 1916: Contextos e Consequências. São Paulo: Humanitas, 2016.

REGAN, Aidan; BRAZYS, Samuel. Celtic Phoenix or Leprechaun Economics? The Politics of an FDI-led Growth Model in Europe. New Political Economy, v. 23, n. 2, p. 223-238, 2018. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13563467.2017.1370447. Acesso em: 21 ago. 2018.

RENAN, Ernest. O que é uma nação? Revista Aulas, Campinas, p. 1-21, 2016. Disponível em: http://www.unicamp.br/~aulas/VOLUME01/ernest.pdf. Acesso em: 02 fev. 2018.

SAMPAIO, Alexandre. O olhar pós-colonial na construção de uma identidade irlandesa: um estudo da peça Translations, de Brian Friel. 2008. 248 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2008. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/99117/sampaio_a_me_sjrp.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 21 jun. 2018.

SINGLETON, Brian. From Dana to Jedward: our Eurovision economy. The Irish Times, Dublin, 11 mai. 2013. Disponível em: https://www.irishtimes.com/culture/music/from-dana-to-jedward-our-eurovision-economy-1.1388868.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
Santos da Silva, S., & Pfau, M. (2019). A narrativa irlandesa no Eurovision Song Contest 2018: nation branding e as dimensões contemporâneas da Irlanda. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(16), 194-218. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p194-218
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas