A biografia como instrumento de resgate para a história do jornalismo brasileiro

Palavras-chave: Biografismo, História do jornalismo brasileiro, Memória da televisão brasileira

Resumo

Este artigo visa compreender de que forma as biografias de três empresários da comunicação ajudam a historicizar o jornalismo brasileiro. São analisadas três obras assinadas por jornalistas: Roberto Marinho (BIAL, 2004); O Bispo: A história revelada de Edir Macedo (TAVOLARO; LEMOS, 2007) e Topa tudo por dinheiro: as muitas faces do empresário Silvio Santos (STYCER, 2018). Como metodologia para avaliação das três obras, aplicaram-se os seis tópicos sistematizados por Vilas Boas (2008), aqui transformados em critérios de análise no jornalismo biográfico. Busca-se, destarte, identificar, na caracterização das protagonistas, as temáticas descendência, fatalismo, extraordinariedade, verdade, transparência e tempo. Por fim, infere-se que as diferentes formas de tratamento dadas às histórias dos biografados têm impactos distintos no modo como se obtém informações a respeito de acontecimentos da esfera jornalística brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Adam, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Graduado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), campus de Itajaí e Mestrando em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Bolsista com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Contato com o autor: felipeadam91@gmail.com.

Sérgio Luiz Gadini, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos. Professor do Curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG. Participa da Frente de Movimentos Sociais de Ponta Grossa. Contato com o autor: sergiogadini@yahoo.com.br.

Referências

BIAL, Pedro. Roberto Marinho. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaina Amado Baptista de.; FERREIRA, Marieta de Moraes. (Org.). Usos e abusos da história oral. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.

BULHÕES, Juliana; SOBRAL, Gustavo. O uso de biografias e autobiografias de jornalistas na construção da história do jornalismo brasileiro. Temática, João Pessoa, v. 12, n. 09, p. 206-221, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tematica/article/view/30682. Acesso em: 05 mar. 2019.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Edições Vértice, 1990.

MAIA, Marta Regina; LELO, Thales Vilela. Subjetividades em cena no jornalismo biográfico de José Castello. Mediação. Belo Horizonte, v. 15, n. 16, p. 121-136, 2013. Disponível em: http://www.fumec.br/revistas/mediacao/article/view/1468. Acesso em: 05 mar. 2019.

OS DONOS da mídia no brasil. Media Ownership Monitor Brasil Mídia. Reporters Without Borders/ Intervozes, 2017. Disponível em: http://brazil.mom-rsf.org/br/. Acesso em 05 mar. de 2019.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-215, 1992. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/viewArticle/1941. Acesso em: 04 mar. 2019.

STYCER, Mauricio. Topa tudo por dinheiro: As muitas faces do empresário Silvio Santos. São Paulo: Todavia, 2018.

TAVOLARO, Douglas; LEMOS, Christina. O Bispo: A história revelada de Edir Macedo. São Paulo: Editora Lafonte, 2007.

VILAS BOAS, Sergio. Biografia e biógrafos: jornalismo sobre personagens. São Paulo: Summus, 2002.

VILAS BOAS, Sergio. Biografismo: reflexões sobre as escritas da vida. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
Adam, F., & Gadini, S. L. (2019). A biografia como instrumento de resgate para a história do jornalismo brasileiro. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 7(16), 122-144. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p122-144
Seção
ARTIGOS - Outras Perspectivas