"Aceita que agora é das transviadas"

política identitária LGBTQIA+ em Meu Corpo é Político

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p219-239

Resumo

A política no Brasil, desde a ditadura, é acompanhada por uma crescente busca por visibilidade e direitos. A discussão sobre políticas identitárias LGBTQIA+ ganhou outros contornos no cinema nacional com o avanço dos movimentos sociais. O documentário "Meu Corpo é Político" (2017) aborda o dia a dia de quatro pessoas transgêneras. O objetivo deste artigo é compreender as estratégias discursivas empregadas pelo filme para pautar as políticas identitárias LGBTQIA+. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica ligada à teoria queer bem como uma análise dos discursos visuais e verbais do filme. Por fim, constata-se que o documentário fortalece a visibilidade das pessoas trans, colaborando com a discussão sobre direitos sociais e políticos de transexuais ao criticar o sistema cisnormativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-12-20

Como Citar

Moreira, D. G. (2019). "Aceita que agora é das transviadas": política identitária LGBTQIA+ em Meu Corpo é Político. Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 7(16). https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p219-239

Edição

Seção

ARTIGOS - Outras Perspectivas