Quando a semiótica se tornou uma teoria da comunicação?

um estudo de sua presença em livros-texto (1969-2018)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p98-121

Resumo

O objetivo deste texto é compreender como uma perspectiva originária da Linguística e/ou da Filosofia se tornou uma referência teórica para a Comunicação. Este artigo destaca alguns momentos dessa aproximação,  examinando, a partir de pesquisa bibliográfica, a presença da Semiótica em 26 livros-textos de Teoria da Comunicação publicados entre 1969 e 2018. A análise das evidências sugere que: (1) não há consenso sobre sua pertinência: 14 dos livros analisados não a incluem entre as teorias da comunicação, e apenas três detalham o tema; (2) embora presente na área desde a década de 1960, o tema ganha espaço como “teoria da comunicação” nos anos 1990; (3) não há quase distinção entre abordagens semióticas, apresentadas como teoria dos signos e geralmente associada à Linguística e à Teoria da Informação. Estes resultados são discutidos no contexto da atual pesquisa de epistemologia da Comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-12-20

Como Citar

Martino, L. M. S. (2019). Quando a semiótica se tornou uma teoria da comunicação? um estudo de sua presença em livros-texto (1969-2018). Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 7(16). https://doi.org/10.22484/2318-5694.2019v7n16p98-121