Telenovela e controvérsias

Públicos mobilizados em torno de “A Força do Querer”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2021v9n21p168-195

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar a telenovela brasileira e seu potencial de mobilizar públicos conectados em torno de controvérsias (DASCAL, 2001; VENTURINI, 2014), no ambiente das redes sociais digitais. A partir de uma análise das conversações nos perfis sociais do Gshow, plataforma de entretenimento da Rede Globo, apresenta uma tipologia de sujeitos que publicam comentários sobre telenovelas, incorrendo em trocas polêmicas que podem prolongar-se de maneira imprevisível. A pesquisa observa como cada um desses sujeitos contribui para que as controvérsias ganhem maior alcance e durabilidade, adquirindo assim um valor estratégico para a emissora. O recorte da pesquisa foi delimitado nas publicações sobre a telenovela “A Força do Querer” (2017).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecília Almeida Rodrigues Lima, Universidade Federal de Pernambuco

Jornalista, Doutora em Comunicação pelo PPGCOM-UFPE e professora do Departamento de Comunicação Social da UFPE. 

Referências

AMARAL, A.; SOUZA, R.; MONTEIRO, C. De westeros no #vemprarua à shippagem do beijo gay na TV brasileira. Ativismo de fãs: conceitos, resistências e práticas na cultura digital. Galáxia, São Paulo, n. 29, p. 141-154, 2015.

BACELAR, C.; CARVALHO, C. Bancada evangélica cresce 14% e deve prejudicar causas LGBT. O Globo, Rio de Janeiro, 08 out. 2014. Disponível em: https://oglobo.globo.com/brasil/bancada-evangelica-cresce-14-deve-prejudicar-causas-lgbt-14178049. Acesso em: 21 fev. 2021.

BALOGH, A. M. O discurso ficcional na TV. Sedução e sonho em doses homeopáticas. São Paulo: Edusp, 2001.

BALZER, C.; LAGATA, C.; BERREDO, L. TMM annual report 2016. Tansgender Europe, 2016. Disponível em: https://transrespect.org/wp-content/uploads/2016/11/TvT-PS-Vol14-2016.pdf. Acesso em: 21 fev. 2021.

BENEVIDES, B. G.; NOGUEIRA, S. N. B. (Org.). Dossiê assassinatos e violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2020. São Paulo: Expressão Popular, ANTRA, IBTE, 2021. Disponível em: https://antrabrasil.files.wordpress.com/2021/01/dossie-trans-2021-29jan2021.pdf.

Acesso em: 21 fev. 2021.

BOOTH, P. Digital Fandom. New Media Studies. Nova York: Peter Lang, 2010.

boyd, D. Taken out of context: American Teen Sociality in Networked Publics. 2008. 406 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Information Management and Systems and the Designated Emphasis in New Media, Universidade da California, Berkeley, 2008.

BRÍGIDO, C.; FERREIRA, P. Na véspera do julgamento sobre homofobia, bancada evangélica é recebida no STF. O Globo, Rio de Janeiro, 13 fev. 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/na-vespera-do-julgamento-sobre-homofobia-bancada-evangelica-recebida-no-stf-23448031. Acesso em: 21 fev. 2021.

CAVALCANTI, G. K. M. Televisão e Redes Sociais: Configurações de TV Social em Malhação. 2016. 187 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

DASCAL, M. Dichotomies and types of debate. In: EEMEREN, F. H. V.; GARSSEN, B. (Ed.). Controversy and confrontation: relating controversy analysis with argumentation theory. John Benjamins, Amsterdam, p. 27-49, 2008.

DASCAL, M. How Rational Can a Polemic Across the Analytic­Continental ‘Divide’ Be?. International Journal of Philosophical Studies, v. 9, n. 3. 2001.

DIAS, T. Como Facebook, Twitter e Google lucram quando você sente raiva. [S. I.]: The Intercept Brasil, 1 out. 2018. Disponível em: https://theintercept.com/2018/10/01/facebook-google-twitter-radicalizacao.

Acesso em: 15 jan. 2019.

DUFFET, M. Understanding Fandom. An Introduction To The Study of Media Fan Culture. New York: Bloomsbury Academic, 2013.

FECHINE, Y. [et al.]. Como pensar os conteúdos transmídia na teledramaturgia brasileira? Uma proposta de abordagem a partir das telenovelas da Globo. In: LOPES, M. I. V. (Org.). Estratégias de Transmidiação na Ficção Televisiva Brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 19-60.

FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

GRAY, J. New Audiences, New Textualities: Anti-Fans and Non-Fans. International Journal of Cultural Studies, v. 6, Issue 1, 2003.

HILLS, M. Fan Cultures. Nova York: Routledge, 2002.

JENKINS, H. Fans, bloggers and gamers: exploring participatory culture. New York: New York University Press, 2006.

JENKINS, H. Textual Poachers: television fans and participatory culture. New York: Routledge, 1992.

JOHNSON, D. Fan-Tagonism. Factions, Institutions and Constitutive Hegemonies of Fandom. In: GRAY, J.; SANVDOSS, C.; HARRINGTON, C. L. Fandom, Identities and communities in a mediated world. Nova York: New York University Press, 2007.

LATOUR, B. Reassembling the Social: An Introduction to Actor-network-theory. Oxford: Oxford University, 2005.

LIMA, C. A. R. Telenovela transmídia na Rede Globo: O papel das controvérsias. 2018. 260 f. Tese (Doutorado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

LOPES, M. I. V. Telenovela brasileira: uma narrativa sobre a nação. Comunicação & Educação, São Paulo, n. 26, p. 17-34, abr. 2003. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/37469/40183. Acesso em: 13 fev. 2017.

NEVES, D. Discurso polêmico em debate: a teoria das controvérsias de Marcelo Dascal. In: SEMANA DE EVENTOS DA FACULDADE DE LETRAS, 12., 2016, Belo Horizonte, MG. Anais [...]. Belo Horizonte, MG: Universidade Federal de Minas Gerais, 2016.

PALLOTTINI, R. Dramaturgia da Televisão. São Paulo: Perspectiva, 1998.

RECUERO, R. A Conversação em rede. Comunicação mediada pelo computador e redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.

RECUERO, R. Redes Sociais na Internet, Difusão de Informação e Jornalismo: Elementos para discussão. In: SOSTER, D. A.; FIRMINO, F. (Org.). Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2009. p. 1-269.

SODRÉ, M. Best-seller: a literatura de mercado. 2 ed. São Paulo: Ática, 1988.

SOCIAL TV no Brasil em 2017. [S.I.]: Kantar Ibope Media, 08 fev. 2018. Disponível em: https://www.kantaribopemedia.com/social-tv-no-brasil-em-2017/. Acesso em: 15 jan. 2019.

SOUZA, V. Bispo conclama ‘tsunami’ de e-mails para STF e TV Globo contra Aborto e Ideologia de Gênero. [S. I]: O Povo, 27 mar. 2017. Disponível em: http://blogs.opovo.com.br/ancoradouro/2017/03/27/bispo-conclama-tsunami-de-e-mails-para-stf-e-tv-globo-contra-aborto-e-ideologia-de-genero/. Acesso em: 31 jul. 2019.

THEODOROPOULOU, V. The Anti-Fan Within the fan. Awe and envy in Sport Fandom. In: GRAY, J.; SANDVOSS, C.; HARRINGTON, L. Fandom, Identities and Communities in a Mediated World. New York: New York University Press, 2007. Kindle Edition, location 121-417.

URICHIO, W. Contextualizing the broadcast era: nation, commerce, and constraint. The American Academy of Political and Social Science, Filadélfia, v. 625, n. 1, set. 2009.

VENTURINI, T. Diving in magma. Public Understanding of Science. SAGE Publications, Londres, v. 19, n. 3, p. 258-273, 2014.

WAINBERG, J. A. Línguas ferinas. Um estudo sobre a polêmica e os polemistas. Porto Alegre: Editora PUC-RS, 2010.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Almeida Rodrigues Lima, C. (2021). Telenovela e controvérsias: Públicos mobilizados em torno de “A Força do Querer”. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 9(21), 168–195. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2021v9n21p168-195

Edição

Seção

ARTIGOS - Outras Perspectivas