Podcasts sobre autismo

uma proposta de análise de capas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2022v10id4828

Palavras-chave:

podcast, autismo, análise cultural

Resumo

O Transtorno do Espectro do Autismo é uma categoria diagnóstica que, socialmente, se traduz na existência de uma comunidade formada por pessoas engajadas pelo tema e representação social de pessoas autistas. Com base nesta premissa, aproximamos os estudos críticos do autismo com os Estudos Culturais. A partir destas aproximações conceituais, propomos uma análise de capas de podcasts brasileiros sobre autismo presentes nas plataformas digitais a partir do modelo de análise cultural e as reflexões sobre como pensam as imagens, para observar as conjunturas envolvidas nos elementos das imagens, as questões políticas abordadas nos estudos críticos do autismo e suas representações midiáticas. Obtemos como resultados a percepção de que as capas de podcasts produzidos por autistas carregam diferenças culturais em relação àquelas produzidos por profissionais e especialistas em autismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Rita Vidica, Universidade Federal de Goiás

Programa de Pós-graduação em Comunicação 

Ricardo Pavan, Universidade Federal de Goiás

Possui doutorado (2011); mestrado (2002) em Ciências da Comunicação e graduação em Jornalismo (1992) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Atualmente é docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, na linha de pesquisa Mídia e Cultura, e professor adjunto do Curso de Jornalismo na Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goias.

Tiago Abreu, Universidade Federal de Goiás

Programa de Pós-graduação em Comunicação

Referências

ABREU, Tiago; PAVAN, Ricardo. Podcasts sobre autismo no Brasil: uma introdução. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MÍDIA, CULTURA, CIDADANIA E INFORMAÇÃO, 14., 2021, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: UFG, 2021, p. 974-984, 2021. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1SYgK1G_GTieDmYrqDoLQeOwV3OY4EVwA/view. Acesso em: 12 out. 2021.

ALECRIM, Emerson. Spotify chega a 286 milhões de usuários e a 1 milhão de podcasts. 2020. Disponível em: https://tecnoblog.net/336223/spotify-resultados-financeiros-1-tri-2020-286-milhoes-usuarios/. Acesso em: 6 jun. 2021.

ALMEIDA, Eloizia Dinecy Costa de et al. A criança autista e o princípio da igualdade: a inclusão do "mundo azul". In: SEMANA DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE TIRADENTES - SEMPESq, 21., 2019. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/sempesq/article/view/13270. Acesso em: 16 jul. 2021.

ARAÚJO, Álvaro Cabral; LOTUFO NETO, Francisco. A nova classificação americana para os transtornos mentais–o DSM-5. Revista brasileira de terapia comportamental e cognitiva, São Paulo, v. 16, n.1, p. 67-82, 2014. Disponível em: http://www.usp.br/rbtcc/index.php/RBTCC/article/view/659. Acesso em: 6 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.31505/rbtcc.v16i1.659

BRILHANTE, Aline Veras Morais et al. “Eu não sou um anjo azul”: a sexualidade na perspectiva de adolescentes autistas. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 26, p. 417-423, 2021. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2021.v26n2/417-423/. Acesso em: 16 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021262.40792020

CASCIO, M. Ariel. Cross-cultural autism studies, neurodiversity, and conceptualizations of autism. 2015. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s11013-015-9450-y. Acesso em: 13 jun. 2021.

DAVIDSON, Joyce. Autistic culture online: virtual communication and cultural expression on the spectrum. Social & cultural geography, v. 9, n. 7, p. 791-806, 2008. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14649360802382586. Acesso em: 16 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.1080/14649360802382586

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

DONVAN, John; ZUCKER, Caren. Outra sintonia: a história do autismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina. Estudos culturais: uma introdução. O que é, afinal, estudos culturais, v. 3, p. 133-166, 2000. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5745079/mod_resource/content/0/Aula%2012b_Silva_Escosteguy%20-%20O%20que%20e%2C%20afinal%2C%20Estudos%20Culturais.pdf. Acesso em: 16 jul. 2021.

FERRARETTO, Luiz Artur. Possibilidades de convergência tecnológica: pistas para a compreensão do rádio e das formas do seu uso no século 21. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE COMUNICAÇÃO, 30., 2007, Santos. Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2007. Disponível em: https://www.ufrgs.br/estudioderadio/wp-admin/textos/convergencia_tecnologica_ferrareto.pdf. Acesso em: 15 ago. 2021.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

KAPP, Steven K (org). Autistic community and the neurodiversity movement: stories from the Frontline. Springer Nature, 2020. Disponível em: https://link.springer.com/book/10.1007/978-981-13-8437-0. Acesso em: 6 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.1007/978-981-13-8437-0

MALLETT, Rebecca; RUNSWICK-COLE, Katherine. Commodifying autism: the cultural contexts of ‘disability’in the academy. In: DISABILITY and social theory. London: Palgrave Macmillan, 2012. p. 33-51. Disponível em: https://link.springer.com/chapter/10.1057/9781137023001_3. Acesso em: 19 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.1057/9781137023001_3

MENDONÇA, Sophia. Neurodivergentes: autismo na contemporaneidade. Manduruvá Edições Especiais, 2019. DOI: https://doi.org/10.29327/514181

MONTEIRO, Márcio; AZAMBUJA, Patrícia. Análise cultural de produtos audiovisuais: relato de construção de protocolo teórico-metodológico. Comunicação & Inovação, São Caetano do Sul, v. 19, n. 41, 2018. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/5482. Acesso em: 7 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.13037/ci.vol19n41.5482

MORAES, Ana Luiza Coiro. A análise cultural: um método de procedimentos em pesquisas. Questões Transversais, Rio Grande do Sul, v. 4, n. 7, 2016. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/12490. Acesso em: 7 jun. 2021.

O’DELL, Lindsay et al. Critical autism studies: exploring epistemic dialogues and intersections, challenging dominant understandings of autism. Disability & Society, v. 31, n. 2, p. 166-179, 2016. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09687599.2016.1164026. Acesso em: 14 jul. 2021.

PAVAN, Ricardo; ABREU, Tiago. A comunicação das diferenças: um mapeamento dos podcasts sobre o autismo no mundo. In: MAIA, Juarez Ferraz de; BORGES, Rosana Maria Ribeiro; FARIAS, Salvio Juliano Peixoto (org.). Estudos contemporâneos em jornalismo. Goiânia: Cegraf UFG, 2020, v. 8, p. 259-271. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/76/o/E-book_2020.pdf?1607086179. Acesso em: 16 jul. 2021.

PEREIRA, Anne Karolyne Mendes; SOUTO, Virgínia Tiradentes. A cor do autismo e sua relevância na representação simbólica de mulheres. In: FADEL, Luciane Maria; SPINILLO, Carla; HORTA, Anderson; PORTUGAL, Cristina (org.). Anais do 9º Information Design International Conference e 9º Information Design Student Conference. Belo Horizonte : Sociedade Brasileira de Design da Informação SBDI, 2019, p.1403–1411. Disponível em: http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/designproceedings/9cidi/3.0294.pdf. Acesso em: 6 jun. 2021.

READING, Anna. Neurodiversity and communication ethics: How images of autism trouble communication ethics in the globital age. Cultural Studies Review, p. 113-129, 2018. Disponível em: https://search.informit.org/doi/abs/10.3316/informit.061065951629708. Acesso em: 12 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.5130/csr.v24i2.6040

RIOS, Clarice. “Nada sobre nós, sem nós”? O corpo na construção do autista como sujeito social e político. Sexualidad, Salud y Sociedad, Rio de Janeiro, n. 25, p. 212-230, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sess/a/86hndtKbjyBGHDT7txTmR9G/abstract/?format=html&lang=pt. Acesso em: 10 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2017.25.11.a

RUNSWICK-COLE, Katherine; MALLETT, Rebecca; TIMIMI, Sami (org). Re-thinking autism: diagnosis, identity and equality. Londres: Jessica Kingsley Publishers, 2016.

SAMAIN, Etienne. As imagens não são bolas de sinuca. In: SAMAIN, Etienne (org.). Como pensam as imagens. Campinas: Ed. Unicamp, p. 21-36, 2012. DOI: https://doi.org/10.7476/9788526814738.0002

VIEIRA, Jéssica Keylly da Silva. Maternidade azul: percepção de mães acerca do transtorno do espectro autista. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2019. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/xmlui/handle/riufcg/11571. Acesso em: 16 jul. 2021.

WALTZ, Mitzi. Images and narratives of autism within charity discourses. Disability & Society, v. 27, n. 2, p. 219-233, 2012. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09687599.2012.631796. Acesso em: 10 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.1080/09687599.2012.631796

WILLIAMS, Raymond. The long revolution. Londres: Penguin Books, 1965.

WOODS, Richard et al. Redefining critical autism studies: A more inclusive interpretation. Disability & Society, v. 33, n. 6, p. 974-979, 2018. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/09687599.2018.1454380. Acesso em: 13 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.1080/09687599.2018.1454380

Downloads

Publicado

2022-09-22

Como Citar

VIDICA, A. R.; PAVAN, R.; ABREU, T. Podcasts sobre autismo: uma proposta de análise de capas. Tríade: Comunicação, Cultura e Mídia, Sorocaba, SP, v. 10, n. 22, p. e022005, 2022. DOI: 10.22484/2318-5694.2022v10id4828. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/4828. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS - Outras Perspectivas