Da urbis inteligente ao direito à cidade

Autores

  • Rosalina Burgos Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Campus Sorocaba

Resumo

Cidades inteligentes podem ser compreendidas sob diferentes perspectivas: a) cidade virtual ou conectada, que dispõe de comunicação eletrônica que a torna um espaço de conexão digital entre cidades e comunidades; b) cidades digitais que têm seu cotidiano transformado pela tecnologia da informação; c) ambientes inteligentes que agregam tecnologias da informação e comunicação, incrustadas no ambiente construído; d) território com densidade de sistemas de inovação e tecnologia de informação e comunicação numa mesma localidade e, e) formação dos denominados clusters, ou regiões, territórios com investimentos em comunicação e gestão do conhecimento. De modo geral, trata-se de cidades com aporte tecnológico com capacidade para o campo da inovação. Assim, tal entendimento dialoga diretamente com níveis de inovação, criatividade e inteligência exponenciais nos espaços urbanos. Por sua vez, todo este ambiente inteligente potencializa as questões em torno do debate sobre o direito à cidade, pois se o fenômeno urbano tem a potencialidade de revelar o novo e instaurar novas experiências de sociabilidade, a democratização de suas potencialidades passa, necessariamente, pela garantia de acesso e usufruto dos benefícios infra-estruturais e sócio-culturais da denominada urbis inteligente por parte das diferentes classes e grupos sociais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosalina Burgos, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Campus Sorocaba

Geógrafa formada pela Universidade de São Paulo, Mestre e Doutora em Geografia Humana pela mesma Universidade. Dedica-se ao tema da urbanização e mundo do trabalho, com ênfase ao processo de segregação socioespacial, às transformações recentes das periferias urbanas e à formação de territórios no urbano (contexto da reestruturação produtiva e conjunto de políticas neo-liberais). Professora Nível Adjunto do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de São Carlos, do Departamente de Geografia, Turismo e Humanidades - DGTH, Campus Sorocaba.

Publicado

2014-06-05

Como Citar

Burgos, R. (2014). Da urbis inteligente ao direito à cidade. Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 2(3). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/article/view/1917