Jornalismo esportivo: da cobertura olímpica ao projeto Rio 2016

Autores

Resumo

 O potencial das interfaces nos processos comunicativos evidencia a produção midiática com informações em recursos interativos. Esses recursos são convergentes em meio ao desenvolvimento das transmissões esportivas, do entretenimento permeado pelo jornalismo, das tipicidades do Brasil e a identificação local do Rio de Janeiro, com cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016. As pautas passam a aglutinar especialidades de diferentes editorias, além do tratamento multieditorial, como por exemplo, turismo e política na seção esportiva. Este trabalho visa a elaborar uma análise que se parte da mensagem jornalística olímpica diante dos processos comunicacionais da contemporaneidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Augusto Tavares Junior, Universidade de São Paulo (USP)

Doutorando em Ciências da Comunicação (USP)

Mestre em Ciências da Comunicação (USP, 2013);

Especialista em Mídia, Cultura e Informação (ECA/USP, 2013);

Bacharel em Comunicação Social (habilitação em Radialismo) (Unimep, 1999)

Publicado

2015-12-11

Como Citar

Tavares Junior, C. A. (2015). Jornalismo esportivo: da cobertura olímpica ao projeto Rio 2016. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 3(6). Recuperado de http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/article/view/2309

Edição

Seção

ARTIGOS - Outras Perspectivas