Instagram, distanciamento social e condução das condutas

um estudo a partir de duas escolas privadas em Porto Alegre

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2020v8n19p285-311

Resumo

em tempos de distanciamento social, os usos das redes sociais têm se ampliado, inclusive entre as instituições de ensino que passaram a operar com esses artefatos de outros modos. Assim, o objetivo deste estudo está em discutir algumas estratégias utilizadas por duas escolas da rede privada de Porto Alegre/RS na rede social Instagram. Trata-se de uma análise das publicações das escolas, antes e durante o advento da COVID-19, articulada a dois movimentos de investigação. O primeiro movimento apresenta o aplicativo enquanto materialidade da cultura digital. O segundo movimento analisa as postagens das escolas no Instagram, utilizando-se do referencial teórico dos Estudos Foucaultianos, com destaque à análise de discurso e ao conceito de governamento no sentido da condução das condutas. Os resultados indicam uma mudança de lógica nas publicações, assim como estratégias voltadas à visibilidade e fidelização dos alunos e familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Bortolazzo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na linha de pesquisa "Estudos Culturais em Educação". Pesquisa de Pós-Doutorado (Bolsista CAPES) concluída na Western Sydney University (WSU) - Institute for Culture and Society (ICS). Mestre em Educação pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Pós-Graduação em Psicopedagogia e Neurociências pela Universidade Paulista (UNIP) Licenciado em Pedagogia pela Universidade Paulista (UNIP). Bacharel em Comunicação Social/Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Interesses de pesquisa abrangem as seguintes temáticas: pedagogia; pedagogias culturais; pedagogias digitais; geração digital; cultura digital; mídias digitais; educação e tecnologias; educação e suas interfaces com aplicativos digitais; psicologia e sociologia da educação; currículo e didática na era digital, dentre outros.

Roseli Belmonte Machado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Mestre em Educação pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA/Canoas (2010). Pós-graduação em Biomecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança - ESEFID/UFRGS (2007). Graduada em Educação Física - Licenciatura Plena - pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA/Canoas (2006). Atuou, do ano 2000 ao ano 2013, como professora em escolas de Educação Básica e foi professora em instituições de ensino superior, trabalhando com graduação em Educação Física e cursos de pós-graduação. Em 2013 ingressou na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), onde atuou como professora Adjunta vinculada ao Instituto de Educação, atuando no Curso de Educação Física e na pós-graduação em Educação Física Escolar. Desde 2018 é professora Adjunta na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEFID/UFRGS). Desenvolve estudos e pesquisas na área de Educação Física escolar e da Educação, trabalhando com Educação Física e Inclusão e Formação de Professores. É pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisa em Docência e Avaliação em Educação Física (vice-coordenadora) (GEDAEF/UFRGS/CNPq), ao Grupo de Pesquisa em In/Exclusão (GEIX/FURG/CNPq),ao Grupo de Estudos e Pesquisa em Inclusão (GEPI/UNISINOS/CNPq) e ao Grupo de Pesquisa em Currículo e Contemporaneidade (GPCC/UFRGS).

Publicado

2020-12-29

Como Citar

Bortolazzo, S., & Belmonte Machado, R. . (2020). Instagram, distanciamento social e condução das condutas: um estudo a partir de duas escolas privadas em Porto Alegre. Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 8(19), 285-311. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2020v8n19p285-311