A espacialidade da tela vertical nas narrativas digitais contemporâneas e as reconfigurações do aspect ratio no audiovisual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22484/2318-5694.2020v8n19p177-191

Resumo

Ao longo de sua história o cinema adotou diferentes formatos de tela, o chamado aspect ratio, cuja definição sempre esteve a cargo da indústria ou de alguns realizadores de vocação autoral. Utilizando um menor número de variações, a televisão sempre trabalhou com formatos rigorosamente definidos. Entretanto na atualidade o enquadramento da dimensão espacial em dispositivos móveis quando usados para filmagens tende a seguir outros modelos, com predominância da tela vertical, que corresponde à principal modalidade de uso do smartphone ou tablet na captura de imagens. A emergência de narrativas digitais, através de selfies e outras formas de intervenção individual, representa uma viragem ideológica em que “o autor” somos todos nós. Trata-se de uma mudança de paradigma que importa debater e analisar à luz das novas mídias e das narrativas que a suportam, já que os modos de representação da experiência visual não cabem mais nas janelas de confinamento que a indústria audiovisual originalmente destinou a eles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Bidarra, Universidade Aberta

Doutor,  Docente da UAb, subdiretor do Doutoramento em Média-Arte Digital, Membro do Conselho Coordenador do Departamento de Ciências e Tecnologia – DCT – e Membro das Comissões Científica e Pedagógica do Mestrado em Informação e Sistemas Empresariais – MISE

Luis Fernando Severo, Universidade Tuiuti do Paraná

Doutorando e Mestre em Comunicação e Linguagens - Linha de Pesquisa Estudos de Cinema e Audiovisual pela Universidade Tuiuti do Paraná. Especialista em Comunicação e Cultura pela UTFPR. Realizador de mais de quarenta filmes como diretor, roteirista e montador. Professor no curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná e na pós-graduação em Cinema da UTP.

Referências

AUMONT, Jacques. A estética do filme. Campinas: Papirus, 2008.

DELEUZE, Gilles. Cinema 2: Imagem-Tempo. São Paulo: Brasiliense, 2009.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 2012.

FELINTO, Erick. Cinema e tecnologias digitais. In: MASCARELLO, Fernando (Org.). História do cinema mundial. Campinas: Papirus, 2006.

JENKINS, Henry. Cultura da conexão. São Paulo: Aleph, 2014.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A tela global: mídias culturais e cinema na era hipermoderna. Porto Alegre: Editora Sulina, 2009.

MANOVICH, Lev. The language of new media. Cambridge: The MIT Press, 2001.

RAMOS, Fernão Pessoa. A imagem-câmera. Campinas: Papirus, 2012.

ROMBES, Nicholas. Cinema in the digital age. London: Wallflower, 2009.

VIOLA, Bill. Catalogue de l’exposition Bill Viola, sous la direction scientifique de Jérôme Neutres. Paris: Éditions de la Réunion des musées nationaux, Grand Palais, 1986.

Publicado

2020-12-29

Como Citar

Bidarra, J. ., & Severo, L. F. . (2020). A espacialidade da tela vertical nas narrativas digitais contemporâneas e as reconfigurações do aspect ratio no audiovisual. Tríade: Revista De Comunicação, Cultura E Mídia, 8(19), 177-191. https://doi.org/10.22484/2318-5694.2020v8n19p177-191