Visualização, semiótica e teoria da percepção

Autores

  • Ana Maria Guimarães Jorge
  • Daisy de Brito Rezende
  • Edson José Wartha

Resumo

Este trabalho constitui uma investigação que busca, na teoria da percepção de Peirce, uma nova forma de interpretação dos aspectos relacionados ao processo de visualização molecular no Ensino de Química. Desde 1987, é crescente a relevância do uso de métodos de computação gráfica, associados às simulações com ferramentas computacionais, para incrementar e conceber melhor representação signo-visual, em plataformas mais robustas; experimentação, por educadores e pesquisadores; visualização molecular por meio da linguagem não verbal; e observação das partículas invisíveis da Química. Cada vez mais, mídia eletrônica e digital têm possibilitado às esferas da comunicação e da informação um aperfeiçoamento dos meios e dos processos, o que de fato amplia a capacidade de representação dos processos sígnicos em movimento e na formação de cadeias signicas. De um lado, a reprodução qualitativa das interrelações, de outro, o estabelecimento de conexões com seus objetos. A Teoria da Percepção peirceana, juntamente aos princípios investigativos das tecnologias cognitivas, sob pesquisas de cognitivistas e neurocientíficas, oferecem ferramentas e pontos de vista extremamente eficazes para a observação científica dos fenômenos no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

JORGE, Ana Maria Guimarães; REZENDE, Daisy de Brito; WARTHA, Edson José. Visualização, semiótica e teoria da percepção. Tríade: Comunicação, Cultura e Mídia, Sorocaba, SP, v. 1, n. 1, 2013. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/1560. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS - OUTRAS PERSPECTIVAS