Análise de discurso e os currículos de comunicação no Brasil

Autores

  • Newton Guilherme Vale Carrozza Univás - Universidade do Vale do Sapucaí http://orcid.org/0000-0002-4846-3114
  • Mirian dos Santos Univás - Universidade do Vale do Sapucaí

Resumo

A configuração da área da comunicação no Brasil parece ter uma estreita relação com um campo epistemológico que supõe a língua como instrumento. Nossa proposta, neste trabalho, é refletir sobre a possibilidade de uma entrada, no campo da comunicação e, consequentemente, nos currículos dos cursos, da análise de discurso como uma teoria de interpretação capaz de dar suporte para o entendimento dos processos comunicativos de maneira global. A análise de discurso praticada atualmente, a partir dos trabalhos de Michel Pêcheux na França e seus desenvolvimentos no Brasil por Eni Orlandi, concebe a língua como material, espaço de articulação entre a ideologia, o simbólico e o político, onde intervém a história. Nesse sentido, a língua adquire um estatuto outro, deslocando-se da simples concepção de instrumento de comunicação. À língua, cabe o lugar próprio de constituição dos sentidos e dos sujeitos. Tomá-la nesse lugar significa dar aos profissionais da linguagem, uma formação capaz de fazê-los entrar nos modos de compreensão das relações sociais sob uma outra perspectiva, atentando para o fato de que a prática da comunicação social afeta sobremaneira os modos como os sujeitos se relacionam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

Carrozza, N. G. V., & Santos, M. dos. (2015). Análise de discurso e os currículos de comunicação no Brasil. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 3(5). Recuperado de https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/2193

Edição

Seção

ARTIGOS - Outras Perspectivas