A imagem midiática dos padrões estéticos nos fenômenos de adultescência e infantescência

Autores

  • Malena Segura Contrera Pontifícia Universidade Católica.
  • Carlos Henrique Aiello Universidade Paulista.

Resumo

Este artigo tem como finalidade discutir a imagem midiática dos padrões estéticos, atribuída aos meios de comunicação, em especial, à publicidade, muito explorada na contemporaneidade, que consumimos vorazmente todos os dias. Trata-se do padrão estético infanto-juvenil, glamourizado no discurso e nas estratégias publicitárias, que atingem as faixas etárias, no intuito de expandir as fronteiras do consumo. Neste sentido, diversas produções publicitárias e diferentes produtos visuais, como é o caso de catálogos, folhetos, flyers e outdoors em que a imagem é construída intencionalmente como produto de consumo, recaem nos fenômenos adultescentes e infantescentes. Muitos são os produtos e marcas, a exemplo da Hering e Lilica &Tigor, aqui selecionadas para este estudo, que condicionam os apelos à glamourização da juventude, respondendo aos anseios do capital. Tais fenômenos em muito contribuem para as características da sociedade de consumo, em que tudo vira mercadoria, na tentativa de construir significados associados aos jovens, numa espécie de cultura juvenil, para que estes se tornem a expressão de valor e o estilo de vida aceito na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

Contrera, M. S., & Aiello, C. H. (2015). A imagem midiática dos padrões estéticos nos fenômenos de adultescência e infantescência. Tríade: Comunicação, Cultura E Mídia, 3(5). Recuperado de https://periodicos.uniso.br/triade/article/view/2256